Trump diz que crise do novo coronavírus é pior que 11 de Setembro e Pearl Harbor

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira (6) que a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus é pior do que os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 e do que a ofensiva à base de Pearl Harbor, na Segunda Guerra Mundial.

“É realmente o pior ataque que já sofremos. Pior que Pearl Harbor. Pior que o [ataque ao] World Trade Center. Nunca houve um ataque assim”, afirmou Trump .

Para o norte-americano, era possível evitar o impacto da pandemia nos EUA. “Isso poderia ter sido interrompido ainda na fonte [do novo coronavírus]. Isso poderia e deveria ter sido interrompido”, repetiu o presidente.

Os EUA registravam mais de 70 mil mortes por Covid-19 nesta quarta, segundo monitoramento da Universidade Johns Hopkins. Os ataques de 11 de setembro de 2011 deixaram cerca de 3 mil mortos.

Força-tarefa continua

Trump também disse nesta quarta-feira que a força-tarefa da Casa Branca de combate ao coronavírus continuará trabalhando, concentrada nos tratamentos médicos e no afrouxamento das restrições ao comércio e à vida social. Segundo ele, pode ser que haverá conselheiros diferentes.

Na terça-feira, Trump havia dito que planejava desmantelar a força-tarefa e substituí-la por “algo com uma forma diferente” agora que o país entra em uma nova fase voltada às consequências do surto. Ele também admitiu na ocasião que “algumas pessoas” poderiam ser atingidas duramente por um ressurgimento do vírus.

“Algumas pessoas serão afetadas? Sim. Algumas pessoas serão afetadas duramente? Sim. Mas temos que abrir nosso país, e temos que abri-lo em breve”, disse Trump.

Em uma série de tuítes publicados nesta quarta-feira, ele disse que, por causa de seu sucesso, “a força-tarefa continuará por tempo indeterminado concentrada na segurança em reabrir nosso país. Podemos acrescentar ou subtrair pessoas a ela, se apropriado. A força-tarefa também se concentrará muito em vacinas e terapias.”

Até agora, a força-tarefa contou com profissionais médicos concentrados no enfrentamento da pandemia, alguns dos quais chegaram a oferecer orientações que se chocaram com as de Trump.

Ainda na terça-feira, Trump disse aos repórteres:

“Agora estamos estudando um pouco uma forma diferente, e esta forma é segurança e abertura. E teremos… provavelmente teremos um grupo diferente criado para isso.”

Fonte: Yahoo!