Pesquisa aponta aumento no registro de acidentes de trabalho e mortes em Botucatu e cidades do interior de SP

O Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou uma pesquisa que aponta um aumento no registro de acidentes e mortes decorrentes do trabalho no interior de São Paulo (veja gráficos e tabelas abaixo).

Só em Bauru (SP), o aumento de registro foi de 16%, e o de mortes, 150%, de 2020 para 2021, sendo que os setores com maior emissão de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) em 2021 foi em atividades de correio, com 15%, e a atividades de atenção à saúde humana, com 11%.

Um exemplo que faz parte da estatística em Bauru é o pedreiro José Carlos Borges Conceição que trabalha há 30 anos na construção civil, mas está afastado do trabalho há um mês por conta de um acidente de trabalho. O pedreiro cortou o dedo operando uma serra.

Depois de socorrido, José Carlos contou à reportagem da TV TEM que outra preocupação veio à tona: quando poderia voltar ao mercado de trabalho.

Em entrevista à TV TEM, o advogado trabalhista Fernando Ribas garantiu que a realidade poderia ser diferente, já que a lei é completa e aponta as possíveis causas para a ocorrência de acidentes.

“Desde falta de treinamento ao funcionário, falta do empregador fiscalizar o uso de PI, jornada excessiva de trabalho, estresse. Vários fatores que podem causar esse acidente”, lembrou.

Registro de mortes por trabalho no interior de SP

CIDADES/ANOS 2019       2020      2021

BAURU  3             2              5

MARÍLIA                1              2             5

OURINHOS          0              0             2

BOTUCATU         1              3             1

Fonte: Ministério Público do Trabalho

Já em Marília (SP), de 2020 (956) para 2021 (1.163) o número de CATs emitidas registrou um aumento de 21,6%. Na cidade, o número de mortes de 2020 (2) para 2021 (5) sofreu um aumento de 150%, assim como em Bauru, sendo que os setores com maior número de chamadas para atendimentos foram atividades hospitalares, com 17%, e em hipermercados e supermercados com 9%.

Em Ourinhos (SP), o número de CATs emitidas registrou um aumento de 20,7% de 2020 (304) para 2021 (367). Apesar de 2019 e 2020 não registrar nenhuma morte por acidente de trabalho, em 2021 foram 2 mortes, o que representa um aumento de 200%. Os setores que mais registraram emissões de CAT foram atividades hospitalares (18%) e cultivo de cana-de-açúcar (6%).

Os dados de Botucatu (SP) mostram que, de 2020 para 2021, houve um aumento de 5,7%, já que, em 2020, houve um registrou de 852 CATs emitidas e, no último ano, 901 CATs. Os setores que mais emitiram chamados foram fabricação de cabines, carrocerias e reboques para veículos automotores, com 27%, e atividades de atenção à saúde humana não especificadas, com 11%.

Os segmentos como o de supermercados e hipermercados, administração pública em geral e de restaurantes e estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas figuram entre aqueles que registram maiores ocorrências de acidentes e doenças ocupacionais entre os municípios do interior paulista.

Fonte: Tv Tem Bauru