Kim Jong-un, da Coreia do Norte, presenteia âncora de telejornal mais famoso do país com mansão

Um dos rostos mais conhecidos da Coreia do Norte, talvez atrás apenas do líder Kim Jong-un, a âncora de televisão Ri Chun Hi foi presenteada nesta quinta-feira (14) com uma mansão do governo.

Acostumada a contar as notícias, de testes nucleares até a morte de um líder, a “dama de rosa” virou ela mesma uma delas quando a imprensa oficial do regime anunciou o caro presente de Kim.

Kim Jong Un visita a nova casa da âncora Ri Chun Hi na Coreia do Norte em 14 de abril de 2022 — Foto: Korean Central News Agency/Korea News Service via AP
Kim Jong Un visita a nova casa da âncora Ri Chun Hi na Coreia do Norte em 14 de abril de 2022 (Foto: Korean Central News Agency/Korea News Service)

Em reportagem da agência Associated Press, que cita a versão oficial norte-coreana, o líder do país entregou a luxuosa residência com um pedido: que Ri, de 79 anos, continuasse a servir a nação com sua voz.

Ainda segundo a agência americana, o “tratamento especial” de Kim a personalidades da elite de seu país tentam aumentar sua lealdade enquanto enfrentam a pandemia e uma economia conturbada.

Estilo de apresentadora da TV estatal da Coreia do Norte chama a atenção
Estilo de apresentadora da TV estatal da Coreia do Norte chama a atenção (Foto: Reprodução)

Bairro de elite

O governo de Pyongyang inaugurou nesta semana um bairro residencial de luxo na capital do país para abrigar “pessoas que prestaram serviços diferenciados ao estado”, segundo a agência KCNA.

A Coreia do Norte muitas vezes inaugura grandes construções para marcar datas importantes – e nesta sexta-feira (15) se celebram os 110 anos de Kim Il Sung – morto em 1994 –, avô de Kim e fundador do país.

A data é o feriado mais importante da Coreia do Norte, que é governada por três gerações da família Kim desde sua fundação em 1948.

Pyongyang é a cidade-modelo da Coreia do Norte, e seus moradores de elite desfrutam de uma vida relativamente abastada em comparação com as pessoas em áreas rurais remotas.

A maioria dos norte-coreanos que fugiram do país nas últimas duas décadas veio de suas regiões do norte, perto da fronteira com a China, reportou a Associated Press.

Fonte: Yahoo!