Harmonização de pratos com bebidas: saiba como surgiu essa tradição

A busca pelo equilíbrio no paladar surgiu com a evolução da produção do vinho. Confira dicas para acertar nas combinações com vinho, cerveja e caipirinha.

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Você busca harmonizar os seus pratos com as suas bebidas? Pois, saiba que não é uma frescura. Essa é uma técnica utilizada na gastronomia há séculos e que pode fazer toda a diferença na sua experiência de degustação.

O surgimento da harmonização tem a ver com a evolução da produção de vinho no mundo, especialmente na Europa a partir do século XVII. No entanto, hoje já há estudiosos dedicados também a combinar pratos com outras bebidas, como cervejas e até mesmo aquela caipirinha gelada.

Quer saber um pouco mais sobre como tudo isso começou e também sobre como pode harmonizar os seus pratos com bebidas? Então você está no texto certo.

Hábito começou no Velho Mundo

Os primeiros vinhos eram produzidos sem muito controle. O processo consistia, basicamente, em amassar as uvas com os pés e armazenar o líquido em recipientes de cerâmica. Com o passar dos anos as técnicas foram evoluindo e hoje é possível combinar notas e sabores para obter diferentes resultados.

Desde que a produção de vinho no Velho Mundo foi se tornando mais profissional, algumas pessoas começaram a harmonizar os diferentes tipos da bebida com seus pratos tradicionais. O costume virou febre na época entre os apreciadores de vinho e cada país criou uma “escola”, ou seja, o seu próprio modo de fazer isso.

No Brasil atual, a harmonização ainda segue muitos parâmetros dos europeus, mas estamos caminhando para criar a nossa própria escola, que tem a ver com o crescimento da produção nacional de vinhos e também com as nossas outras bebidas e comidas típicas.

Saiba como combinar

Não existe um consenso sobre a harmonização, já que ela também depende do paladar e do gosto pessoal de cada um. Por conta disso, algumas escolas, como a inglesa, são bastante liberais quanto às regras.

No entanto, as escolas italianas e francesas criaram uma série de regras para guiar a harmonização. A Itália, inclusive, foi o primeiro país a criar uma associação de sommeliers (profissional designado para a escolha das bebidas), em 1973.

Para fazer combinações perfeitas, todas as variáveis influenciam. Desde a temperatura e safra da bebida, até os temperos e especiarias utilizados na comida. Mas, para quem não é especialista, um guia com as regras gerais para cada bebida já pode mudar o nível das suas combinações.

Vinho

Como já mencionamos, a harmonização de pratos com vinho costuma ser complexa, mas, de forma geral, é interessante pensar que a comida e a bebida devem ter o mesmo corpo.

Os vinhos mais ácidos são ótimos para suavizar pratos com muitos condimentos ou gordura, enquanto as bebidas com elevado teor alcoólico devem ser evitadas com essas comidas. Pratos ácidos ou amargos também vão bem com bebidas que têm a acidez pronunciada.

As carnes vermelhas, especialmente as grelhadas e mal passadas, combinam com vinhos que trazem o efeito conhecido como tanino, aquela sensação mais adstringente e seca. Nesse caso, comida e bebida se complementam.

Cerveja

Para as cervejas, a harmonização básica pode se relacionar com semelhança, ou seja, escolher uma bebida que tenha aromas e sabores parecidos com o alimento. Comidas mais leves com salada e carne branca, as mais fortes com carne vermelha.

A harmonização também pode se dar por contraste ou complementação. É importante que as combinações sejam equilibradas, com intensidade equivalente.

Caipirinha

A caipirinha pode harmonizar com vários pratos tipicamente brasileiros, como a clássica feijoada. De maneira geral, a combinação depende do tipo de cachaça utilizada no drinque: as brancas vão bem com frango, peixe e frutos do mar; as envelhecidas combinam melhor com carne vermelha e de porco.

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes