Dor de ansiedade e depressão vai além do emocional: estudo prova efeitos no corpo

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

 

Pesquisadores do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) estudaram a relação entre dor crônica e depressão, ansiedade e bipolaridade. Os resultados mostraram que os acometimentos do corpo e da mente estão extremamente relacionados.

Dor crônica x depressão e ansiedade

Publicado no Journal of Affective Disorders, o estudo faz parte de um levantamento concluído em 2009 que analisou mais de 5 mil pessoas maiores de idade e que vivem na região metropolitana de São Paulo.

Em entrevista à Agência Fapesp, Laura Helena Andrade, coautora do estudo e coordenadora do Núcleo de Epidemiologia Psiquiátrica da USP, afirmou que já era esperado que a amostragem da pesquisa tivesse prevalência de distúrbios psiquiátricos devido ao estresse da capital paulista.

A análise concluiu que a dor crônica – incômodo persistente com duração de ao menos 3 meses – foi prevalente em participantes com transtornos de ansiedade e de humor, como depressão e bipolaridade.

A pesquisa ainda descobriu que pessoas com distúrbios do gênero têm duas vezes mais chances de ter acometimentos crônicos como diabetes, bronquite, asma e hipertensão. Confira os resultados a seguir:

Transtornos de humor

De acordo com o artigo, 50% dos casos de depressão e bipolaridade apresentam dor constante. 33% deles ainda têm problemas respiratórios, 23% hipertensão, 10% doenças cardiovasculares, 9% artrite e 7% diabetes.

45% das pessoas com algum tipo de ansiedade também admitiram sentir incômodos constantes. Ainda por cima, 30% delas apresentam doenças respiratórias, 23% hipertensão e 11% artrite e problemas do sistema cardiovascular.

Dor causa depressão e ansiedade e vice-versa

Ainda não é conhecido o mecanismo exato por trás da dor crônica e ansiedade e depressão, mas uma teoria atribui a relação ao desânimo e limitação em realizar atividades prazerosas por parte dos indivíduos com doenças físicas, o que levaria aos sintomas de depressão e outros distúrbios psiquiátricos.

A pesquisadora Laura Helena Andrade ainda ressalta que o estresse das metrópoles, muito comum no sofrimento mental, ativa o sistema inflamatório. Consequentemente, alguns vasos sanguíneos são lesionados e algumas vias sofrem oxidação de modo a desenvolver doenças.

Ou seja: depressão, ansiedade, bipolaridade e outras condições do gênero causam dor, assim como pacientes com doenças físicas podem ter tais problemas da mente.

Tratamento conjunto é a solução

A frase “A mente é o que o cérebro faz”, do psicólogo estadunidense Steven Pinker, expressa bem como corpo e mente estão profundamente ligados. Afinal, acometimentos como ansiedade e depressão são fruto de desequilíbrio nos neurotransmissores do cérebro que abalam a mente e as emoções. Assim como quaisquer outras doenças, merecem atenção adequada.

O estudo reforça essa afirmação ao ressaltar que a importância de um tratamento conjunto da parte física com a psicológica, o que melhoraria a dor significativamente e reduziria o risco de complicações.

Fonte: Vix

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes