Cultura divulga agenda do Teatro Municipal de Botucatu do mês de outubro

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Neste mês de outubro Botucatu recebe no Teatro Municipal – “Camillo Fernandez Dinucci” diversas atrações artísticas voltadas a toda população botucatuense. Entre elas estão espetáculos de teatro, dança e música. Confira a programação:
Dia: 9 (sexta-feira)
Espetáculo “Galileu Galilei ” [com os atores Denise Fraga e Ary França – Circuito Cultural Paulista]
Horário: 20h30
Entrada Gratuita
*Distribuição de ingressos será realizada no dia 6 de outubro das 19 às 21 horas, ou até eles se esgotarem na bilheteria do local.
Sinopse:
A apresentação é viabilizada pelo Circuito Cultural Paulista, programa do Governo do Estado de São Paulo e conta com apoio da Prefeitura de Botucatu por meio da Secretaria de Cultura. Na trama, o cientista Galileu, interpretado por Denise Fraga, passa a defender e propagar a ideia de que o Sol é o centro do Universo e a Terra se move e gira em torno dele, enfrentando o posicionamento contrário da Igreja.
Na Itália do século XVII, o apaixonado estudioso torna-se uma ameaça a quem não aceita os fatos e, logo, cai nas garras da Santa Inquisição. Perseguido e ameaçado de tortura, é obrigado a negar suas ideias publicamente. Somente em 1992, mais de três séculos após a sua morte, a Igreja reviu o processo da Inquisição e decidiu pela sua absolvição.
Dia: 14 (quarta-feira)
Oficinas de vivência artística com Fraternal Cia de Arte e Malas Artes
Horário: 14 às 18 horas
Local: Palco do Cine Teatro Nelli (Praça XV de Novembro, nº44 – Centro)
Inscrições: No local e horário da atividade
Público alvo: Atores e atrizes amadores ou não, arte educadores e diretores de teatro.
Sinopse:
Ao longo de seus 22 anos de existência, o grupo Fraternal Cia. de Arte e Malas Artes vem trabalhando no chamado sistema colaborativo, onde a criação do espetáculo é compartilhada desde o texto até a montagem. Todavia, difere muito das tentativas de teatro coletivo praticadas principalmente nos anos 70, onde quase sempre os papéis não eram bem definidos no grupo, resultando muitas vezes, com raras exceções em desastrosas experiências de “arte fechada”.
Aqui, o grupo não se reúne apenas para montagens de peças, mas para construir um projeto gestado em 1992 com a criação do “Comédia Popular Brasileira”, projeto que pretende retomar a investigação da comédia popular, não só no que diz respeito a tipos já fixados no imaginário da cultura brasileira, como também reviver gêneros já esquecidos como a revista, o musical, os autos, as narrativas, e a paródia.
Na encenação a pesquisa volta-se não só a aspectos da representação cômica popular brasileira, como investigar e reunir elementos fundamentais desta representação no sentido de guiar e enriquecer o trabalho dos atores em busca de uma poética própria.
A fixação de conceitos teóricos e processos práticos sobre a comédia popular permite a cada trabalho tecer uma metodologia compartilhada entre atores, dramaturgo e cenógrafo envolvendo-os na construção do espetáculo. Para tanto o grupo desenvolveu um método que começa na construção do texto (escolha do tema até a elaboração do canovaccio), improvisações, escolha de imagens e finalizações.
Dia: 14 (quarta-feira)
Peça Borandá – um mergulho na experiência migratória  [com Fraternal Cia. de Arte e Malas Artes]
Horário: 19h30
Entrada Gratuita
* Não será necessária a retirada de ingresso antecipado.
Sinopse:
Borandá é resultado do projeto que coloca no palco as experiências humanas dos migrantes, a partir de relatos coletados pelo grupo Fraternal Cia de Arte e Malas. Com texto de Luís Alberto de Abreu e direção de Ednaldo Freire, a peça tem no elenco os atores Mirtes Nogueira, Carlos Mira, Aiman Hammoud e Harley Nobrega.
Este projeto conta com a realização do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, ProacSP – Incentivo à Cultura do Estado de São Paulo.  Construída toda a partir de elementos do teatro narrativo, Borandá compõe um painel épico do homem e da mulher migrantes.
Dia: 18 (domingo)
Constelação do Oriente [Dança do Ventre]
Horário: 19h30
Ingresso: R$ 5 e um litro de leite
Ponto de venda:  Bilheteria do teatro
Sinopse:
Tradicional apresentação de danças orientais, representando os quatro elementos da natureza.
Dia: 24 (sábado)
Rita Lee Mora ao lado [com Mel Lisboa]
Sessões: 18h30  e 21h30
Ingresso: Valores por setor
Setor vermelho – R$ 50 (estudantes, idosos e professores), R$ 70 (clientes da Unimed e Uniodonto) e R$ 100 (inteira)
Setor roxo: R$ 35 (estudantes, idosos e professores), R$50 (clientes da Unimed e Uniodonto) e R$ 70 (inteira)
Setor verde – R$ 30 (estudantes, idosos e professores), R$45 (clientes da Unimed e Uniodonto) e R$ 60 (inteira)
Setor turquesa – R$ 25 (estudantes, idosos e professores), R$ 35,00 (clientes da Unimed e Uniodonto) e R$ 50 (inteira).
Ponto de venda:  Bilheteria do teatro e www.megabilheteria.com
Sinopse:
Após temporada de sucesso em São Paulo, o musical “Rita Lee Mora ao Lado” conta a história da cantora Rita Lee que finalmente ganha os palcos do Brasil no espetáculo. O texto de Paulo Rogério Lopes, Márcio Macena e Débora Dubois é uma adaptação teatral do livro “Rita Lee Mora ao Lado – Uma Biografia Alucinada da Rainha do Rock”, do escritor Henrique Bartsch.
Como na obra, a peça mistura realidade e ficção, para contar a trajetória da cantora desde a época dos Mutantes, nos anos 60, até os dias de hoje, por meio das divertidas confusões de Bárbara Farniente, uma vizinha que sempre acompanhou de perto a vida da família da cantora, já que sua mãe era apaixonada pelo pai de Rita.
Bárbara nasce no mesmo dia e na mesma hora da artista e as vidas das duas se cruzam em vários episódios. O foco da montagem será a mulher e estrela do rock a partir da ótica dos autores sobre sua infância, a adolescência, seu encontro com a música e seus amores. A trama apresentará detalhes pouco conhecidos da vida da artista sobre um pano de fundo que inclui personagens da música dos últimos 50 anos.
Ruiva e ostentando a famosa franjinha da cantora, Mel cantará clássicos como “Agora Só Falta Você”, “Saúde”, “Banho de Espuma”, “Caso Sério”, “Menino Bonito”, “Panis et Circensis”, “Ando Meio Desligado”, entre outros. São ao todo 39 canções no espetáculo – incluindo também músicas de artistas que de alguma forma integraram e marcaram a vida de Lee, como Beatles, Ray Charles, Tim Maia, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Elis Regina, Gal Costa e os marcantes encontros nos programas de Ronnie Von, Hebe Camargo e muitos outros. “Rita Lee Mora ao Lado” será repleta de canções que marcam os trabalhos de Rita em formações como Teenager Singers, Tutti Frutti e Mutantes, além de sua carreira solo e as parcerias com Roberto de Carvalho.
Dia: 29, 30 e 31 (quinta, sexta e sábado)
Peça teatral “A fábula Rinocerontes” [de Eugene Ionesco – Escola Aitiara]
Dias: 29 e 30 – às 20h30
Dia: 31 – duas sessões: 17 e 21 horas
Entrada Gratuita
Retirada de ingressos antecipadamente na bilheteria do Teatro e na Escola Aitiara
Sinopse:
A fábula mais famosa da peça do autor franco-romeno, escrita em 1960, é construída sob influência das fortes preocupações com os sistemas totalitários de direita e de esquerda da época, assim como a opressão existencial vivida num clima social cotidiano caracterizado por um individualismo embotado.  Os seres humanos escolhem ou sucumbem, a humanidade vira rinoceronte.
Dia: 01/11 (domingo)
III Festival Brasileiro de Euritmia Jovem [Encontro brasileiro com participação de mais de 300 jovens de 10 escolas Waldorlf]
Horário: 19 horas
Entrada Gratuita
Sinopse:
A euritmia é uma nova forma de dança que vem sendo amplamente desenvolvida, especialmente na Europa (Alemanha, Holanda, Suíça e Inglaterra), desde o início deste século.
Inúmeras pesquisas nas áreas da Educação e da Medicina de inspiração antroposófica levaram à sua adoção no currículo das mais de 400 Escolas Waldorf em todos os continentes e como complemento terapêutico em diversos países.
Como arte ela se propõe a pesquisar o movimento intrínseco da linguagem poética e da música, como ele se configura no fluxo da fala e no desenvolvimento dos sons, com todos os seus matizes de sentimento, levando também em consideração o conteúdo específico expresso pelo poeta ou pelo compositor.
Esse elemento artístico-plástico da fala e da música é transposto para o espaço cênico através do movimento coreográfico, complementado pelas cores das indumentárias e da iluminação. Simultaneamente com recitação ou música ao vivo a euritmia dança, assim, o desenvolvimento dos sons de poesias e músicas, em toda sua complexidade.
Serviço:
A bilheteria do Teatro Municipal funciona de terça a sexta-feira, das 13 às 19 horas, e aos sábados, das 13 às 17 horas, somente quando há eventos no fim de semana. Aos domingos, feriados e pontos facultativos a bilheteria é aberta duas horas antes do espetáculo.
Teatro Camillo Fernandez Dinucci
Praça Coronel Moura, nº27 – Centro
Telefone: (14)3882-9004

Fonte: Prefeitura Municipal de Botucatu

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes