Café no Brasil: tradição, história e economia

Conheça tudo sobre a origem do café no Brasil e sua relação com a economia do país

Você também é um apreciador daquele cafezinho pela manhã ou à tarde? Já sabemos que os brasileiros amam um café, certo? Mas você conhece a história desse produto no Brasil?

Embora ele tenha origem no continente africano, nosso país apresentou um grande desenvolvimento desse grão devido ao fato de seu território ser extremamente fértil. O café de Minas, por exemplo, é muito conhecido, pois o estado é um dos que mais obtiveram sucesso em sua produção. Acompanhe este conteúdo e saiba mais sobre o café, sua origem e relação com a economia.

Importância econômica, origem e história do café no Brasil

No século XIX e início do século XX o café foi o principal produto de exportação da economia brasileira. O responsável por trazer e plantar as primeiras mudas foi Francisco Melo Palheta, então sargento do exército brasileiro. No ano de 1727 foram plantadas as primeiras mudas no estado do Pará.

Como o clima e condições do solo brasileiro eram bem propícios, não demorou para o café se difundir para outras regiões do país, até chegar no Rio de Janeiro — que contava com portos para facilitar o comércio dos grãos — por volta de 1760. A partir disso, a região Sudeste se destacou na produção cafeeira, sobretudo no sul de Minas Gerais e no Vale do Paraíba.

Contudo, a produção em escala comercial para exportação só cresceu no século XIX. Isso só foi possível devido à procura do produto pelos mercados consumidores dos EUA e da Europa. A cafeicultura no Brasil teve vantagens pela utilização do sistema agrícola conhecido como plantation, baseado na monocultura de exportação mediante a utilização de latifúndios e mão de obra escrava.

Café em Minas Gerais

Minas Gerais é o maior estado produtor de café, com aproximadamente 1.600 propriedades certificadas e exportando para mais de 70 países. Atualmente, mesmo com a crise sanitária e o isolamento social, o café driblou a crise e bateu recorde no aumento das exportações da região.

Apesar de as lavouras terem sofrido um impacto nesse cenário, houve uma adaptação ao “novo normal”, obtendo resultados satisfatórios. Portanto, mesmo com a crise, nada se alterou em relação ao gosto dos brasileiros por um cafezinho, principalmente em Minas Gerais. Afinal, nada melhor que um café com pão de queijo, não é mesmo?

Entretanto, no ano de 2021, novos desafios surgiram no estado em relação às plantações de café: as secas e geadas. Ainda, nessa mesma época, já era prevista uma redução da produção devido ao ciclo natural dos cafezais. No entanto, o avanço dos cafés especiais em Minas Gerais representa um bom momento para o setor. Além disso, o consumo do grão aumentou durante a pandemia e o que impulsionou esse fato é o trabalho home office e presença das pessoas dentro de casa.

Consumo de café no Brasil

Um dado muito interessante é que os consumidores desse produto passaram a procurar por cafés de melhor qualidade, conhecidos como especiais ou gourmets. Isso resultou em um crescimento nesse tipo de item, representando em média 44% da produção total. Apesar disso, o nicho de cafés especiais ainda é novo no Brasil, mas já conquistou diversos brasileiros. Por isso, não deixe de aproveitar os benefícios do café, tais como:

  • estímulo no metabolismo;
  • redução do risco de doenças cardíacas;
  • prevenção de diabetes;
  • efeito positivo na memória;
  • outros tantos.

Por fim, aproveite esse produto e não deixe de experimentar diferentes tipos de cafés para encontrar aquele que aquece o seu coração. Mas lembre-se de sempre aproveitar com moderação!

Últimas

Botucatu: Obituário 26 de setembro

26 set 2021

Maria de Lourdes Miranda Barcellos – 93 anos Sepultamento 28/09/21 às 17h no Crematório Memorial Botucatu...

Categorias

Scroll Up