Dieta vegana não perde para onívora em ganho de massa e força muscular, dizem estudos

Pesquisa da USP mostrou que os dois tipos de alimentação podem trazer os mesmos resultados

A dieta vegana, aquela em que o indivíduo não consome nenhum alimento derivado de animais, é vista por muitas pessoas como menos nutritiva que a onívora, em que as pessoas não seguem essa restrição.

Porém, diferentemente do que o senso comum aponta, pesquisas científicas vêm indicando que essa ideia pode estar errada, o que pode fazer com que muitas pessoas repensem o que colocam em seus carrinhos de compras de supermercado.

Uma das principais críticas à dieta vegana refere-se ao ganho de massa muscular, pois entendia-se que a proteína de origem vegetal não traria os mesmos resultados fisiológicos da proteína animal. Entretanto, um estudo da Universidade de São Paulo (USP) indica que não é bem assim.

Na verdade, quando feitas da maneira correta, ambas as dietas conseguem suprir as necessidades do corpo quanto a ganhar massa e força muscular. Saiba mais sobre o estudo!

Entenda a pesquisa

O estudo em questão foi realizado pela Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP e tinha o objetivo de examinar os efeitos de cada uma das fontes proteicas (vegetal ou animal) no ganho de massa muscular e força dos participantes, buscando diferenças e semelhanças.

Participaram da pesquisa tanto voluntários veganos quanto onívoros e o controle foi feito a partir de uma suplementação, pois já era considerado que os participantes ingerissem outros tipos de proteínas durante o dia, mas de maneira semelhante entre os grupos.

A conclusão do estudo mostrou algo relevante: quando se trata de ganhar massa e força muscular, tanto a dieta vegana quanto a onívora apresentam os mesmos efeitos desde que o aporte proteico seja adequado de acordo com as necessidades do indivíduo.

O artigo foi publicado com o título “High‑Protein Plant‑Based Diet Versus a Protein‑Matched Omnivorous Diet to Support Resistance Training Adaptations: A Comparison Between Habitual Vegans and Omnivore” no portal National Library of Medicine.

Por que essa pesquisa é importante

O objetivo da pesquisa não é convencer pessoas a trocarem a sua dieta, mas, sim, mostrar que a opção é mais benéfica do que muitos pensam. Isso porque, por um longo período, existiu a ideia de que a proteína vegetal tinha valor nutricional mais baixo que a animal por não conter alguns aminoácidos essenciais (que não são produzidos pelo organismo e, por isso, precisam ser obtidos pela alimentação).

Entretanto, essa pesquisa mostrou que, no que se refere ao ganho de massa muscular, não é notada essa diferença entre os dois tipos. Isso se o aporte de proteína do indivíduo for atendido diariamente, ou seja, se ele consumir a necessidade ideal para seu corpo.

Dieta vegana ou onívora?

O tipo de alimentação que uma pessoa irá seguir deve ser uma escolha pessoal, de acordo com especialistas. A dieta vegana, por exemplo, faz parte de outros aspectos de um estilo de vida que busca diminuir ao máximo o uso de animais e produtos de origem animal para benefícios próprios.

Por isso, optar por uma dieta vegana, sem nenhum alimento ou ingrediente derivado de animais (inclusive insetos, como é o caso do mel de abelha) é algo que abarca muitas outras escolhas.

Da mesma maneira, optar pela dieta onívora não é garantia de saúde ou de mais nutrientes. Por exemplo, a gordura da carne vermelha, quando consumida em excesso, pode potencializar os níveis de colesterol, algo prejudicial para o corpo todo.

Portanto, o ideal mesmo é ter uma dieta equilibrada, seja vegana ou onívora, com consumo ideal dos nutrientes necessários, assim como complementação daqueles que faltarem.

Segundo o que Hamilton Roschel, um dos autores do estudo, relatou ao jornal da USP, é um pouco mais difícil atingir o consumo elevado de proteínas com a opção vegetal. Por isso, ele defende que as pessoas tenham um acompanhamento com nutricionistas ao montar sua dieta para ganho de massa, principalmente se optarem pela proteína vegetal.

Scroll Up