Botucatu: Ponte do Piapara começa a ganhar forma

Quem circula pela Estrada Elias Alves (BTC 020) já pode ter uma ideia como ficará a ponte que a Prefeitura de Botucatu está construindo sobre o Rio Bocaina, no acesso ao bairro rural de Piapara. A obra atende uma antiga reivindicação dos moradores e donos de propriedades rurais que em dias de chuva forte ficavam praticamente ilhados. O custo total da obra, incluindo preparação do terreno, base, aterro e a construção da ponte, está estimado em cerca de R$ 500 mil. A empresa Masquetto & Masquetto executa os trabalhos no local.

Os serviços avançam em ritmo acelerado, após a construção do muro em gabião e instalação da estrutura metálica. Nesta semana foi iniciada a instalação do tabuleiro em concreto por onde circularão os veículos. Após a concretagem e o travamento da estrutura serão executados os serviços complementares para incluem aterro em talude e as proteções laterais da ponte. Se as condições climáticas forem favoráveis, a previsão é que ainda no mandato do prefeito João Cury a obra seja oficialmente entregue à população.

“Falamos de uma demanda de mais de vinte anos da comunidade de Piapara e região. Só os moradores sabem a dificuldade que enfrentam em dias de chuva quando o rio sobe. O prefeito João Cury fez várias tentativas para buscar recursos para execução dessa obra. Infelizmente não foi possível. A maneira encontrada foi utilizar parte dos recursos da própria prefeitura que seriam destinados à festa do aniversário da cidade para viabilizar esse grande investimento. Estamos extremamente em ajudar o prefeito a cumprir mais esse compromisso que vai melhorar a vida de tantas famílias e será um marco para a cidade”, declara o secretário de Obras, André Peres.

Histórico – Depois de diversas gestões feitas pelo prefeito de Botucatu, João Cury Neto e pelo deputado estadual Fernando Cury, para que o Governo do Estado liberasse os recursos necessários para a construção de uma ponte sobre o Rio Bocaina, a fim de melhorar o acesso ao bairro rural de Piapara, a crise econômica que toma conta do país só fez aumentar a dificuldade para que o pedido fosse atendido. Esse investimento, um antigo anseio da população da região, é considerado prioritário pela administração municipal.

Diante da perspectiva cada vez menor de autorização da obra, a Prefeitura resolveu executá-la com recursos próprios, utilizando parte do dinheiro que, originalmente, estava reservado para as comemorações do aniversário da cidade. A decisão tomada foi de utilizar recursos dos cofres municipais para obras de combate a enchentes não apenas no acesso a Piapara, como também na Rua Duque de Caixas, em Vitoriana e na Rua Antonio Américo Coutinho, às margens do Ribeirão Lavapés, na região central.

“No caso específico de Piapara, no período de chuvas intensas os moradores não conseguem atravessar o rio Bocaina devido a cheia. Não foram poucas as vezes que a população ficou isolada, sem acesso a serviços públicos fundamentais como, por exemplo, SAMU, transporte escolar e segurança pública”, salienta o prefeito.

A Estrada Municipal Elias Alves (BTC-020), com cerca de 18 km de extensão, é muito utilizada para escoamento da produção agrícola. Trata-se de uma via importante para o transporte de leite, gado e hortifrutigranjeiros, além de cana de açúcar, pinos e eucaliptos, fontes de renda para inúmeros produtores da região.

A atual gestão municipal pavimentou um trecho de 1,5 km da via, contemplando os pontos mais críticos, com subidas e descidas mais íngremes, que exigiam demais dos veículos e geravam bastante insegurança em dias de chuva. Esse investimento é considerado de grande valia para o desenvolvimento do turismo, já que a região é rica pela sua beleza natural e qualidade das águas dos rios, sem poluição, contando também com uma fonte de água sulfurosa no bairro de Piapara.

Periodicamente, a Prefeitura desloca seus maquinários para fazer o trabalho de conservação, em razão do grande fluxo de veículos que trafegam pelo local todos os dias. Em 2010, a pavimentação da estrada chegou a ser incluída no Programa de Recuperação de Vicinais, com investimento estimado em quase R$ 12 milhões. Mas em razão de contingenciamentos de natureza orçamentária, o investimento acabou adiado.

Fonte: Prefeitura de Botucatu