Botucatu: Desafio JVML chega ao fim com muitas conquistas e vitórias

No dia 1º de agosto, a equipe de corrida Juntas Vamos Mais Longe, de Botucatu, lançou o #desafioJ­VML, quando cerca de 50 mulheres se reuniram para ado­tar novos hábitos. O desafio acompanhou a perda de gordura e o ganho de massa muscular das desa­fiadas. As cinco pri­meiras colocadas em cada categoria (perda de gordura e ganho de massa muscular) foram premiadas em um evento de confra­ternização da equipe, realizado no último dia 23.

O desafio foi a for­ma encontrada pela equipe para atingir objetivos maiores, como promover saú­de, qualidade de vida, motivação e, princi­palmente, a união en­tre as participantes. Depois de 12 semanas intensas, as partici­pantes saíram de sua zona de conforto e passaram a descobrir novos prazeres com a corrida, os treinos, as saladas, os suplemen­tos, novas amizades e muito apoio entre elas.

Os resultados foram bastante positivos e todas as participan­tes são consideradas vitoriosas. De acordo com a organização, no momento certo cada uma atingirá seus objetivos pessoais de porcentagem de gor­dura e massa muscu­lar, este foi apenas o primeiro passo.

A primeira coloca­da na categoria “Per­da de Gordura” foi a educadora física Emanuela Almeida, que em abril deste ano, com um rotina intensa de ativida­de física, sofreu um acidente de bicicle­ta, trincou a costela e fraturou o ombro. Com dois meses de fisioterapia e repou­so total, ela obteve quatro quilos a mais neste período.

Quando surgiu a oportunidade do de­safio Emanuela to­pou na hora. O seu lado competitivo a manteve motivada no Desafio JVML, ape­sar dos dias difíceis, dos eventuais desâ­nimos e das “escor­regadas” no cotidia­no. “O incentivo do grupo ajudou muito, pois quando estava desanimada as me­ninas incentivavam ao mandar uma foto da atividade realiza­da no dia ou do pra­to light do almoço. Aprendi que sozinha é difícil, mas que juntas vamos mais longe, como já diz o nome do grupo”, des­taca Manu.

Viviane Martins foi a vencedora na ca­tegoria de ganho de massa muscular. Ela estava triste com o seu corpo. Em razão da vida muito cor­rida, Viviane nunca havia feito nenhum tipo de atividade físi­ca e achava que não tinha tempo. No fim do ano passado co­meçou a treinar três vezes por semana, às 06h30 da manhã, e correu pela primeira vez uma prova, em fe­vereiro. “Estava indo bem, mas infelizmen­te fiquei doente, com pedra no rim, e em meio a cirurgia e tra­tamentos parei tudo, desanimei. Quando soube do desafio acei­tei participar, pois essa seria uma forma de me comprometer e ter foco novamen­te. Recomecei com os treinos e a corrida na esteira, me inscrevi em algumas provas e comecei a ver os re­sultados nas roupas e na balança. Claro, que de vez em quan­do, eu escapei, mas ao ver o grupo se in­centivando me sentia menos culpada. Não tem desculpa de ho­rário, vida corrida, nada. Somos o que queremos ser, sem­pre conseguimos dar um jeito e fazer tudo. Atualmente tenho até mais energia”, disse Viviane, que comple­tou. “Estou muito fe­liz com os resultados e agradeço a minha prima querida, Pau­la Martinhão, minha grande incentivado­ra, e ao grupo”. (texto: Núria R. G. Quintana)

Jornal Leia Notícias

Scroll Up