Artista botucatuense que usa inteligência artificial para ‘dar vida’ a personagens faz homenagem aos Mamonas Assassinas; acidente fatal completou 26 anos nesta semana

O morador de Botucatu (SP) que faz sucesso nas redes sociais ao usar inteligência virtual e softwares de edição de imagens para dar rostos humanos a personagens e animações fez uma uma homenagem ao grupo Mamonas Assassinas utilizando os mesmos recursos. Nesta quarta-feira (2), a morte do músicos em um acidente aéreo completou 26 anos.

O artista Hidreley Leli Dião recriou os rostos de Dinho, Julio Rasec, Sergio Reoli, Samuel Reoli e Bento Hinoto como estariam se estivessem vivos, todos na faixa dos 50 anos (veja as fotos abaixo). As imagens estão em uma postagem que Hidreley fez em seu perfil no Instagram.

Brasília amarela foi um dos símbolos da banda Mamonas Assassinas — Foto: Fábio Tito/G1/Arquivo

Brasília amarela foi um dos símbolos da banda Mamonas Assassinas — Foto: Fábio Tito/G1/Arquivo

Na publicação, o artista escreveu “E se os integrantes da banda Mamonas Assassinas não tivessem nós deixado tão cedo?” e usou as habilidades que o fizeram ganhar destaque internacional para proporcionar aos fãs e saudosistas da banda uma ideia de como os cinco integrantes da banda estariam fisicamente se estivessem vivos.

Ao g1, Hidreley disse que era um grande fã do grupo. “Fiz a postagem com muito carinho porque eu era muito fã deles, muito mesmo e fiquei triste com tudo o que aconteceu.

Acidente aéreo

O avião em que estava a banda Mamonas Assassinas, que foi sucesso na década de 1990, caiu Serra da Cantareira na noite de 2 de março de 1996. O tempo estava fechado na Grande São Paulo naquele sábado.

Segundo as autoridades, o jato executivo Learjet sobrevoou as árvores, atravessou a cortina de névoa fria e colidiu na mata. Além dos cinco integrantes da banda, outras quatro pessoas – dois tripulantes, um segurança, um assistente de palco – estavam na aeronave. Os nove ocupantes morreram no local.

Fonte: G1