Zé Roberto leva 9 vice-campeãs olímpicas para Sul-Americano de vôlei feminino

O técnico José Roberto Guimarães definiu a seleção feminina de vôlei que vai disputar o Sul-Americano. São nove vice-campeãs olímpicas na equipe. A competição começa na quarta-feira, na cidade colombiana de Barrancabermeja, conhecida por ser a sede da maior refinaria do país. A delegação brasileira viaja nesta segunda-feira.

Brasileiras no pódio do vôlei feminino em Tóquio, medalha de prata — Foto: REUTERS/Ivan Alvarado
Brasileiras no pódio do vôlei feminino em Tóquio, medalha de prata (Foto: Reprodução)

O Brasil estreia no Sul-Americano, nesta quarta, às 19h30, contra o Peru. O jogo já foi o clássico da América do Sul – apenas Brasil (21 títulos) e Peru (12) venceram o torneio. Até os anos 90, o domínio era amplo do Peru. Depois de ser potência mundial até, com vice-campeonatos mundial e olímpico nos anos 80, a seleção peruana só se afastou da elite. Hoje, é a quarta força sul-americana. O Brasil não perde um título do Sul-Americano feminino desde 1993. Desde então, foram 13 ouros seguidos dos 21 que tem.

O campeão e o vice do Sul-Americano garantirão vaga no Mundial de 2022, que será disputado na Holanda e Polônia.

O time verde-amarelo participará da competição com as levantadoras Macris e Roberta, as opostas Rosamaria e Lorenne, as ponteiras Gabi, Natália, Ana Cristina e Kasiely, as centrais Carol Gattaz, Carol, Bia e Mayany e as líberos Nyeme e Natinha. Do time vice-campeão olímpico em Tóquio, estão nove jogadoras. Fernanda Garay e Camila Brait se despediram da seleção após as Olimpíadas, e Tandara segue sem poder atuar por causa do resultado de exame antioping.

O novo ciclo começa com a disputa pela posição de líbero, após a saída de Brait. Lorenne volta a ter chance, agora como reserva de Rosamaria na posição de oposta. Kasiely estreia na seleção, opção entre as ponteiras. Mayany, outra que fez parte da equipe antes de Tóquio, retorna entre as centrais.

Roberta em treino da seleção — Foto: Jonne Roriz/COB
Roberta em treino da seleção (Foto: Jonne Roriz/COB)

O levantadora Roberta comentou sobre a expectativa para a competição e destacou a boa temporada do time brasileiro.

– É uma competição muito importante para o nosso grupo porque vale vaga no Mundial de 2022. Estamos vindo de uma grande competição que foi os Jogos Olímpicos, onde atingimos o nosso auge na temporada, mas seguimos muito concentradas. Chegaram algumas jogadoras novas e estamos animadas e mantendo a energia boa desse grupo – afirmou Roberta, que também falou sobre o crescimento do Sul-Americano. – Vamos enfrentar adversários que tem evoluído e o Sul-Americano tem melhorado a cada edição. Queremos fazer um bom campeonato e buscar essa vaga.

O treinador José Roberto Guimarães também destacou a importância na busca pela vaga no Mundial.

– O Sul-Americano é classificatório para o Mundial e vamos buscar essa vaga e o título para finalizarmos bem essa temporada. Temos que manter o nosso foco e a concentração para apresentarmos o nosso voleibol. Nossos adversários têm evoluído e sabemos da nossa responsabilidade.

Nesta temporada, a seleção feminina conquistou a medalha de prata nos Jogos de Tóquio e na Liga das Nações. Na última edição do Sul-Americano, em 2019, o Brasil foi campeão invicto e na decisão superou a Colômbia por 3 sets a 0.

TABELA

Primeira rodada
Quarta 15 – Brasil x Peru às 19h30

Segunda rodada
Quinta 16 – Brasil x Argentina às 19h30

Terceira rodada
Sexta 17 – Brasil x Chile às 19h30

Quinta rodada
Domingo 19 – Brasil x Colômbia às 21h30

Fonte: G1

Scroll Up