Vítimas da Covid-19 são lembradas no primeiro dia da novena na Basílica de Aparecida

A novena em homenagem à Nossa Senhora Aparecida teve início neste domingo (3) no Santuário Nacional. A novena das 15h, presidida pelo missionário redentorista padre Luiz Cláudio Alves de Macedo, fez uma homenagem às vítimas da Covid-19.

Neste ano, na procissão de entrada, havia uma bandeira preta para lembrar as quase 600 mil vítimas da doença. Além dessa bandeira, havia as bandeiras do Vaticano, do Brasil, de São Paulo e de Aparecida, que estão em todos os anos na novena.

Primeiro dia de novena em Aparecida presta homenagem às vitimas da Covid-19 (Foto: Gustavo Marcelino/Santuário Nacional)

Diferente de 2020, em que não foi possível a presença de fiéis na novena por causa da pandemia, neste ano os devotos puderam comparecer no interior do Santuário Nacional. A capacidade de público foi reduzida para 2.500 pessoas.

Primeiro dia de novena no Santuário Nacional — Foto: Gustavo Marcelino/Santuário Nacional
Primeiro dia de novena no Santuário Nacional (Foto: Gustavo Marcelino/Santuário Nacional)

Neste domingo, ainda há a novena das 19h. A novena será realizada entre os dias 3 e 12 deste mês. Nos dias de semana, nove celebrações serão disponibilizadas para os devotos que estiverem em Aparecida. Aos sábados e domingos, o número de cerimônias aumenta para 13. Em 12 de outubro, data dedicada à Padroeira, 14 missas serão realizadas.

O tema das cerimônias em homenagem à padroeira neste ano é “Com Maria, somos Povo de Deus, unido pela Aliança”. Em 2021, a tradicional carreata com a imagem de Nossa Senhora também volta a ser realizada. Os fiéis podem acompanhar de carro, moto ou outro veículo, mas a presença a pé está vetada. As procissões, passeios ciclísticos e a Vigília Mariana não vão ocorrer ainda por conta da pandemia.

Fiéis no primeiro dia da novena no Santuário Nacional — Foto: Gustavo Marcelino/Santuário Nacional
Fiéis no primeiro dia da novena no Santuário Nacional (Foto: Gustavo Marcelino/Santuário Nacional)

Com capacidade reduzida, as celebrações neste ano podem ser acompanhadas presencialmente – apenas 2.500 pessoas por missa – com acesso controlado e seguindo os protocolos de proteção para evitar a disseminação da Covid-19. O uso da máscara e o distanciamento são obrigatórios.

A recomendação da Basílica é de que os fiéis evitem aglomerações e acompanhem a programação remotamente.

Apesar do número de fiéis ser reduzido, o Santuário estendeu o número de missas. A passagem pelo nicho onde fica a imagem de Nossa Senhora Aparecida, Casa de Velas, Sala das Promessas estão liberados ao público, assim como as demais atrações do Santuário, como o bondinho.

Fonte: G1

Scroll Up