Taxista denunciada por injúria racial em Itapetininga depõe à polícia

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A taxista denunciada por injúria racial contra uma manicure negra em Itapetininga (SP) se apresentou à polícia nesta semana. O depoimento dela era esperado para acontecer no início de janeiro, mas foi feito quarta-feira (23) no 2º Distrito Policial.

Em contato neste sábado (26), a motorista informou que irá se pronunciar publicamente somente quando todo o processo for finalizado. Ela preferiu não comentar o que foi falado na delegacia.

A denúncia contra a taxista foi feita pela manicure Hilda Maria de Campos (foto), 36 anos. Ela registrou queixa na Polícia Civil contra a motorista por ter sido chamada de “macaca” dentro do veículo, na segunda-feira (21), em Itapetininga.

Hilda contou que trabalha na região central da cidade e pegou o táxi na rua. Segundo a manicure, durante a viagem, a motorista teria dito que “só pegava preto porque precisava de dinheiro”.

“Quando o carro parou perto da minha casa, ela falou: ‘chegou no seu ponto, macaca. Desce’. Na hora, eu fiquei em choque. Não fiz nada pra ela. Depois eu desci do carro, paguei a viagem, peguei outro táxi e fui à delegacia fazer o boletim de ocorrência”, conta.

A injúria racial consiste em ofender a honra de alguém valendo-se de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem.

O crime está previsto no artigo 140, parágrafo 3º, do Código Penal, que estabelece a pena de reclusão de um a três anos e multa, além da pena correspondente à violência, para quem cometê-la.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes