Sexo pós-parto: mantenha a chama acesa depois do nascimento do seu bebê

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A maternidade chega a sua vida como um furacão. Muda completamente a rotina, restringe as horas de sono, traz inúmeras responsabilidades e transforma a sua visão de mundo. Neste período de adaptação à nova realidade, é comum que os momentos mais íntimos entre você e seu companheiro sejam raros ou mesmo inexistentes. Deixar de lado sua porção amante, entretanto, não vai ser saudável para o seu relacionamento e para a nova família que acabou de nascer.

É certo que nos primeiros meses de vida do seu bebê seu apetite sexual esteja inibido, escondido em algum cantinho dentro de você. “Principalmente no primeiro filho, a mulher MERGULHA DE CABEÇA NA MATERNIDADE, e o resto fica um pouco esquecido. Não apenas o lado sexual, mas tudo o que diz respeito à individualidade dela”, afirma a ginecologista e obstetra DIANA VANNI.

Ao adicionar o papel de mãe na sua vida, não se deixe esquecer que o sexo é importante para você como mulher, e que este lado não vai deixar de existir porque a maternidade chegou. “A mulher, a amante, não foram embora. ELAS DEVEM CONTINUAR ALI. Podem até dar uma pausa, o que é compreensivo. Mas precisam ser ativadas novamente”, comenta a terapeuta sexual CARLA CECARELLO.

Foto: Ingram Publishing/Ingram Publishing

PODER DE LEOA

É claro que a FALTA DE TEMPO E O CANSAÇO, muitas vezes, complicam e são os maiores culpados pela falta de sexo dos recém-pais. “A maioria das mulheres trocaria uma hora de sexo por uma de sono nessa fase. A falta de autoestima e a insatisfação com o corpo no pós-parto também atrapalham”, diz a Diana.

Além disso, segundo a médica, o organismo feminino após o parto produz BAIXAS TAXAS DE ESTEROIDES SEXUAIS que, juntamente com o aleitamento materno, podem causar diminuição na libido e falta de lubrificação vaginal. “A entrada da vagina pode ficar dolorida após o parto normal”, fala. Em situações normais, ou seja, quando você pariu sem nenhuma complicação, a indicação médica é que as relações sexuais voltem DEPOIS DE 40 DIAS.

Encontrar no companheiro um ALIADO PARA AS SITUAÇÕES novas, diferentes e difíceis da maternidade é essencial para que a ligação sexual de vocês se mantenha. Portanto, por mais que você se sinta PODEROSA COMO UMA LEOA, deixe que o pai também realize e tome para si algumas das responsabilidades. “A mulher procura um VERDADEIRO PARCEIRO, que divida o trabalho e a responsabilidade, que a socorra, que apoie a decisão de voltar ao trabalho ou parar de amamentar, e também que dá risada junto dos ‘cocôs atômicos’”, identifica a ginecologista.

Quanto mais CONCRETA E CONFIÁVEL for essa parceria, mais rapidamente a libido vai voltar a aflorar no seu dia-a-dia. “Se o parceiro se mostrar acolhedor e participativo como pai, esse desejo volta mais rápido”, aponta Carla.

O que também pode atrapalhar o sexo é o ESCAPE DE LEITE MATERNO. Algumas mulheres não se sentem atraentes quando isso acontece, o que provoca incômodo e até mesmo constrangimento. De acordo com Diana, existem duas opções. “O jeito é ter relação de sutiã mesmo ou deixar o vazamento fazer parte da brincadeira”, sugere.

SEM CULPAS

Por mais que seu bebê precise da sua atenção, dedicação e amor, você também precisa se cuidar. A pressão, a cobrança e as expectativas – tanto das pessoas ao seu redor como as suas próprias – influenciam no QUANTO DE TEMPO SERÁ DEDICADO A VOCÊ e, consequentemente, ao sexo.

“A cobrança para ser ‘perfeita’ é enorme. As mulheres que procuram criar um pouco de espaço para outras coisas além do bebê são, muitas vezes, criticadas ou se sentem culpadas. Aos poucos, vamos colocando limite na mãe que, em um primeiro momento, toma conta de tudo”, aponta Diana.

Ou seja, NÃO TENHA CULPA quando quiser deixar o seu filho por algumas horinhas sob os cuidados dos avós e tios para sair com o seu marido. “O casal pode ir a um cinema, comer uma pizza, namorar e resgatar alguns momentos juntos. Mas, a mulher não deve achar que está abandonando seu bebê. É preciso que você entenda que, ao sair, vai deixá-lo em total segurança e com alguém que dará todo o suporte. CUIDAR DO BEM ESTAR DA RELAÇÃO A DOIS É TAMBÉM CUIDAR DO BEM-ESTAR DA FAMÍLIA QUE SE FORMOU”, comenta a terapeuta Carla.

Foto:  gpointstudio/iStock

INTIMIDADE RECONSTRUÍDA

As oportunidades de ter momentos a dois NÃO VÃO CAIR DO CÉU. Será preciso criá-las entre fraldas, mamadas e banhos e isso pode ser muito desafiante para o casal. Portanto, deixe a criatividade rolar e mantenha um diálogo aberto com o seu companheiro para que osDESEJOS E VONTADES dos dois sejam discutidos e, principalmente, COLOCADOS EM PRÁTICA. “O sexo contribui para a qualidade de vida das pessoas, desde que esteja sendo praticado de forma boa, com bons parceiros, intimidade e entrega”, diz Carla.

Marcar encontros, mesmo que sejam DENTRO DE CASA MESMO, é uma excelente forma de não deixar passar esse momento importante para vocês dois. “Pode parecer falta de espontaneidade, mas pense que isso cria a oportunidade de gerar expectativas por meio de, por exemplo, mensagens picantes ao longo do dia”, sugere Diana.

Mesmo que as tentativas finalizem com muito sono ou choro de bebê, não se sinta frustrada. “VALEU PELO MOMENTO. A intimidade vai sendo reconquistada pouco a pouco, gesto após gesto”, completa a médica.

Quando o sexo rolar, a ginecologista recomenda que vocês não se esqueçam de usar um BOM LUBRIFICANTE E UM MÉTODO CONTRACEPTIVO CONFIÁVEL. “Nada pior para o desejo de uma recém-parida que o medo de engravidar. Por isso, não deixe de voltar ao ginecologista após 30 dias do parto”, indica.

Fonte: Daquidali

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes