São Paulo acaba com invencibilidade do Palmeiras e abre vantagem na final do Paulistão

O São Paulo derrotou o Palmeiras por 3 a 1, nesta quarta-feira, no estádio do Morumbi, em São Paulo, e abriu vantagem na decisão do Campeonato Paulista. Com dois gols do argentino Calleri, um em cobrança de pênalti, e um de Pablo Maia, o Tricolor pode perder por até um gol de diferença no domingo, no Allianz Parque, para conquistar o bi estadual.

O resultado acabou com a invencibilidade do Palmeiras no Paulistão. Melhor campanha somando todas as fases, o Verdão havia conseguido 11 vitórias e três empates antes de encarar o São Paulo, nesta quarta-feira, na reedição da final do ano passado.

Para o duelo de domingo, marcado para 16 horas, em sua casa, o Palmeiras precisará, graças ao gol marcado por Raphael Veiga no final, de um triunfo por dois de diferença para levar a decisão do título para a disputa de pênaltis.

O primeiro tempo teve duas fases distintas. Até os 25 minutos, a partida foi mais aberta, com as duas equipes buscando o ataque. O Palmeiras teve duas boas chances com Raphael Veiga, que passou perto da trave direita de Jandrei, e com Roni, que tentou um gol de letra, mas errou e permitiu a defesa do goleiro são-paulino.

Pelo lado do São Paulo, a melhor oportunidade nesta primeira parte da etapa foi de Alisson, aos 11 minutos, em um chute da entrada da área com a bola raspando o travessão de Weverton. Mesmo sem criar chances reais, o Tricolor foi melhor na metade final do primeiro tempo, com Calleri dando trabalho para os zagueiros alviverdes.

Quando tudo parecia se encaminhar para um intervalo sem gols, o VAR deu as caras no Morumbi. Em cruzamento despretensioso pela esquerda, aos 47 minutos, a bola bateu na mão de Marcos Rocha e, um minuto depois, o árbitro foi chamado pela cabine da arbitragem de vídeo. Confirmou a penalidade, que Calleri, com tranquilidade, bateu rasteiro no canto esquerdo, deslocando Weverton para o outro lado, e abriu o placar.

Os times voltaram do intervalo com as mesmas formações e com as mesmas posturas do final do primeiro tempo. O São Paulo com mais velocidade e troca de passes e o Palmeiras na defesa, sem qualquer força em seu ataque. A bola batia no setor defensivo tricolor e logo voltava para mais uma tentativa são-paulina.

A consequência desse domínio do São Paulo foi inevitável. Aos 18 minutos, o São Paulo rodou a bola de um lado para o outro da área alviverde até que ela ficou na direita. Rodrigo Nestor rolou para trás para Pablo Maia, que bateu forte, de fora da área. A bola desviou em Murilo e enganou Weverton.

O gol de Pablo Maia deu ainda mais gás ao São Paulo, que não se acomodou com a vantagem e queria mais. Conseguiu aos 35 minutos mais uma vez com Calleri, que mostrou seu faro de artilheiro ao aproveitar, na segunda trave, uma jogada de escanteio batido pela esquerda.

O que o São Paulo e os mais de 60 mil torcedores presentes no Morumbi não esperavam era o Palmeiras conseguir um gol. Aos 39 minutos, Raphael Veiga bateu uma falta pela direita, a bola passou pela zaga e tirou Jandrei da jogada. O goleiro tricolor até resvalou, mas a bola entrou e deixou o Verdão com um pouco mais de chances de conquistar uma virada no segundo jogo.

SÃO PAULO 3 X 1 PALMEIRAS

Local: estádio do Morumbi, São Paulo (SP)
Data: 30 de março de 2022 (quarta-feira)
Horário: 21h40 (de Brasília)
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Alex Ang Ribeiro
VAR: José Cláudio Rocha Filho
Renda: R$ 5.505.315,00
Público: 60.383 torcedores
Cartões amarelos: Patrick (banco de reservas), Jandrei, Diego Costa e Rodrigo Nestor (São Paulo); Gabriel Veron, Jailson e Abel Ferreira (Palmeiras)
Gols:
SÃO PAULO: Calleri (de pênalti, aos 50min do 1° tempo, e aos 35min do 2° tempo) e Pablo Maia (18min do 2° tempo)
PALMEIRAS: Raphael Veiga (39min do 2° tempo)

SÃO PAULO: Jandrei; Rafinha, Léo, Diego Costa e Welington; Pablo Maia, Rodrigo Nestor (Andrés Colorado), Igor Gomes e Alisson (Nikão); Calleri e Eder (Marquinhos).
Técnico: Rogério Ceni

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez; Jailson, Zé Rafael (Atuesta), Raphael Veiga e Gustavo Scarpa (Gabriel Veron); Dudu (Wesley) e Rony.
Técnico: Abel Ferreira.

Fonte: Yahoo!Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras