Rússia faz história com o primeiro filme gravado no espaço

O diretor Klim Shipenko teve 12 dias para filmar as cenas, com a equipe retornando da missão no dia 17 de outubro.

Depois de rodar o primeiro filme gravado no espaço, a atriz Yulia Peresild (“Battle for Sevastopol“- 2015), o diretor Klim Shipenko (“Salyut 7″- 2017) e o cosmonauta Oleg Novitskiy retornaram para a Terra no último dia 17, como foi planejado pela Agência Espacial Russa, a Roscosmos.

Após se despedir da tripulação da Estação Espacial Internacional ISS e fechar a escotilha às e 17h41 (horário de Brasília), em 16 de outubro, a espaçonave Soyuz foi desacoplada da estação às 21h14.

A espaçonave ultrapassou a órbita terrestre às 0h42 e fez uma aterrissagem assistida no Cazaquistão às 10h35 da manhã, no horário local (13h35 no horário de Brasília). No total, Peresild e Shipenko tiveram 12 dias para filmar as cenas.

O chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozin, recebeu a tripulação e durante a remoção da cápsula, enquanto as equipes de filmagem estavam rodando cenas adicionais para o filme.

Após uma avaliação médica, helicópteros levaram todos para Karaganda, no Cazaquistão, e de lá eles seguiram de avião para a base de treinamento em Star City, na Rússia.

Peresild e Shipenko devem passar por um programa de reabilitação de 10 dias, para ajudá-los a se reajustar ao solo terrestre.

O objetivo da mega produção é ampliar o prestígio do programa espacial russo, liderado pela agência Roscosmos, que financia o projeto.

Embora muitas imagens tenham sido feitas em todas as missões ao espaço, um longa-metragem de ficção nunca foi filmado em órbita, e este será um feito que definitivamente irá entrar para a história.

Do que se trata o filme

O primeiro filme gravado no espaço, recebeu o nome “The Challenge” ou “O Desafio”, na tradução literal, e contará a história do cosmonauta Ivanov, que necessita de uma cirurgia cardíaca após passar mal e perder a consciência durante uma caminhada espacial.

A cirurgiã Zhenya, que tenta retomar a relação com sua filha adolescente, para quem ela raramente tem tempo, é convocada na missão que tem o objetivo de salvar a vida do viajante espacial.

Apenas algumas partes do filme foram filmadas dentro da Estação Espacial Internacional, com outras cenas e todo o processo de pós-produção sendo conduzidos aqui na Terra.

Durante a coletiva de imprensa que aconteceu antes do lançamento da Soyuz, a atriz Yulia Peresild se referiu ao projeto, como um “um milagre, e uma chance incrível”.

Tanto a atriz, que atualmente tem 37 anos, como o diretor Klim Shipenko, fizeram um treinamento intensivo para aprender a suportar a violenta aceleração da decolagem, além de lidar com a falta de gravidade.

Os dois relataram que todo o processo de preparação para o primeiro filme gravado no espaço foi extremamente cansativo, mas que acima de tudo, foi encarado como uma oportunidade única na vida.

“Nós trabalhamos muito duro e estamos muito cansados, ainda que estejamos de bom humor e sorrindo.. Foi algo emocionalmente, psicologicamente e fisicamente difícil… Mas quando cumprirmos nossa missão, toda essa dificuldade não será mais tão evidente e lembraremos de tudo com um sorriso.”

Peresild disse ter gostado muito da parte da simulação em gravidade zero, com a sensação de ausência de peso, reconheceu ter muita dificuldade durante as aulas sobre cuidados e a condução da espaçonave Soyuz.

“Eu ficava em aula até às quatro da manhã. São tantas siglas, e você tem que decorar todas, senão não vai entender mais nada dali em diante.”

O foguete partiu da base de Baikonur, no Cazaquistão, e chegou à Estação Espacial Internacional ISS na manhã do dia 05, perto das 12h GMT, ou 9h no horário de Brasília.

O diretor teria começado a gravar as novas cenas, antes mesmo de chegarem a bordo da ISS, durante o acoplamento da nave Soyuz que os levou ao espaço, segundo o próprio Ernst.

A corrida espacial

Em meio a uma certa tensão entre Rússia e Estados Unidos, o primeiro filme gravado no espaço é uma tentativa de antecipar o projeto de Tom Cruise e Doug Liman, em parceria com a NASA e o SpaceX.

A visita dos dois cineastas à Estação Espacial Internacional está prevista para acontecer ainda em 2021, com a Universal Pictures financiando a produção.

O orçamento do longa, está na casa dos US$200 milhões, e rumores apontam para que seja uma sequência de “No Limite do Amanhã” de 2014, que por sinal, é uma das melhores dicas de filme, dentre os que contam com a atuação de Tom Cruise.

A Soyuz MS-19, por outro lado, acontece em um momento de intensificação das viagens espaciais, incluindo os voos turísticos, como recentemente foi feito pelos bilionários Richard Branson e Jeff Bezos.

Nesta segunda-feira (03), a empresa de Bezos, Blue Origin, anunciou que o ator canadense William Shatner, de 90 anos, que interpretou o Capitão Kirk na série Star Trek, irá fazer um passeio similar, que acontecerá ainda neste mês.

Na visão da agência espacial russa, o filme servirá como uma alavanca para devolver o prestígio perdido com os escândalos de corrupção, além da perda do monopólio dos voos tripulados, depois da chegada da Space X.

O primeiro filme gravado no espaço representa muito para a Rússia, tendo em vista que os produtores escolhidos são nomes de peso, como Dmitri Rogozin, o diretor da Roscosmos e ex-vice-primeiro-ministro, Konstantin Ernst, o diretor da emissora de televisão Pervyi Kanal.

Ernst foi o grande responsável pela transmissão de vários momentos históricos do governo de Vladimir Putin, como desfiles militares, eleições presidenciais, além das cerimônias dos Jogos de Inverno de Sochi de 2014.

A Rússia já foi pioneira em muitas ações relacionadas à exploração do espaço, como o primeiro satélite lançado na história, o Sputnik-1, e o primeiro animal a viajar para o espaço, a cachorrinha Laika.

Vale lembrar que o primeiro homem a sair do planeta, foi o Major Yuri Gagarin, em 1961, e a primeira mulher, foi Valentina Tereshkova, em 1963.

Scroll Up