Resistência do terreno desacelera resgate de menino preso em poço na Espanha

Os trabalhos para resgatar o menino de dois anos que está preso em um poço no sul da Espanha há uma semana avançam mais lentamente que o desejado devido à resistência de parte do terreno onde está sendo perfurado um túnel paralelo de 60 metros, dos quais já foram escavados 40.

Passadas 24 horas desde que começaram os trabalhos, os operários conseguiram perfurar dois terços do túnel, de onde se abrirá posteriormente uma galeria horizontal para chegar ao trecho do poço no qual acredita-se que o menino poderia estar.

Segundo informaram neste domingo (20) fontes da equipe de busca, as máquinas, que trabalham sem intervalo, estão se deparando com algumas partes de solo muito duras, que dificultam a escavação do túnel, enquanto há outros trechos de menor resistência.

Um equipamento de perfuração especial está sendo levado até o lugar para vencer a resistência das rochas mais duras.

Especialistas em explosivos da Guarda Civil (corpo de segurança) também foram incorporados hoje à operação de resgate, mas não há informações sobre qual será seu trabalho exato.

Os bombeiros da província de Málaga desenvolveram uma cápsula metálica para que os operários possam descer e subir pelo túnel vertical.

Segundo os cálculos técnicos iniciais, perfurar o túnel de 60 metros levaria entre 12 e 15 horas; e escavar a galeria horizontal manualmente levaria mais umas 20 horas, no melhor dos casos.

Antes, máquinas pesadas tiveram que fazer a terraplanagem do terreno o mais rápido possível e atravessar um maciço rochoso para que fosse possível montar a plataforma de perfuração.

Passadas 24 horas desde que começaram os trabalhos, os operários conseguiram perfurar dois terços do túnel (Fotos: Reprodução)

O acidente

O menino, chamado Julen, caiu no domingo (13) por um poço de prospecção de água de 25 centímetros de diâmetro e 110 metros de profundidade em uma propriedade privada na zona rural de Totalán, na província de Málaga, no sul da Espanha.

O poço está obstruído por um bolsão de terra a 71 metros de profundidade, de forma que não é possível acessar diretamente o local onde acredita-se que o menino poderia estar.

Toda a Espanha acompanha esta operação de resgate dramática com a esperança de que o menino possa ainda estar vivo, algo cada vez mais difícil conforme passam os dias e as horas.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up