Prefeitura de Botucatu e CDHU realizam sonho da casa própria a mais 71 famílias: nasce o Jardim Nova Esperança

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A alegria e a emoção estavam estampadas nos rostos de Roberval de Oliveira e da esposa Amanda, quando juntos, com os quatro filhos pequenos, entraram pela primeira vez em sua nova casa. Sentimentos como estes estavam espalhados pelo Jardim Nova Esperança, na manhã último sábado (12).

Nem mesmo o tempo fechado e o frio foram suficientes para tirar o encanto da cerimônia de entrega de mais 71 casas para a população botucatuense. O evento contou com a presença do prefeito de Botucatu, João Cury Neto; do presidente da CDHU, Marcos Rodrigues Penido, além de diversas autoridades de Botucatu e região.
“Não temos como agradecer. É um momento de muita felicidade para mim e para minha família”, afirmou o garçom Michel Batista enquanto assinava o contrato de sua primeira casa própria.
“Neste momento predominam em nós duas sensações. Uma de dever cumprido, e outra de extrema alegria, pois podemos presenciar um chefe de família, realizando o sonho de uma vida”, celebrou Penido.
“Nosso governo, não por vaidade, mas por respeito à população, já é o governo com mais unidades habitacionais entregues na história de Botucatu, com quase quatro mil”, afirma Cury.
Sobre o Jardim Nova Esperança
O investimento total da obra é de R$ 5,3 milhões. A CDHU repassou os recursos financeiros para a Prefeitura, que doou o terreno e administrou as obras.
O novo bairro foi erguido com infraestrutura completa ao lado do Residencial Caimã, entregue em maio de 2014 no distrito de Rubião Júnior. Assim, em pouco mais de um ano, somando os dois residenciais, Rubião chegou a marca de 570 casas populares construídas. Juntos representam um investimento de mais de R$ 40 milhões.
Ao todo são 2.588 unidades habitacionais entregues em Botucatu apenas no segundo mandato do prefeito João Cury. As casas do Nova Esperança contam com dois dormitórios, sala, cozinha e banheiro, distribuídos em 47,1m² de área construída.
Os imóveis foram entregues com piso cerâmico e laje em todos os cômodos, azulejos na cozinha e no banheiro, muro de divisa nas laterais e no fundo entre os lotes, passarela de acesso e instalação hidráulica preparada para receber aquecedor solar para água do chuveiro. Além disso, todas as casas são adaptadas para abrigar pessoas com deficiência.
O prazo para quitar o financiamento habitacional será de até 25 anos. As prestações receberão subsídios do governo estadual, sendo calculadas de acordo com a faixa de renda de cada família. Assim, aquelas que ganham de um a três salários pagarão o equivalente a 15% do rendimento.

Fonte: Prefeitura Municipal de Botucatu

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes