Prefeitura dá ordem para início de reforma do Mercado Municipal de Botucatu

Localizado no Centro de Botucatu, no encontro das ruas Monsenhor Ferrari e Rangel Pestana, o Mercado Municipal “Progresso Garcia”, inaugurado em 1962, sempre chamou atenção pela imponência e arquitetura clássica, característica comum a outros mercados espalhados pelo Brasil afora. Porém o tempo e a omissão de administrações públicas passadas foram impiedosos com o local. 
 
Mas mesmo com a depreciação do lugar e o desenvolvimento comercial da Cidade, muitos ainda fazem questão de frequentar o famoso “Mercadão”, que começou a ter sua história reescrita na manhã desta quarta-feira (28), quando o prefeito João Cury Neto, ao lado de vereadores, secretários e comerciantes permissionários, assinou a ordem de serviço para início de obras de reforma do prédio que tem 2.375,78 m² de área construída. 
 
Os serviços serão executados pela Construtora Reobote e Projetos Ltda. EPP com valor total de R$ 1.962.501,65. O empreendimento será financiado com recursos da Desenvolve SP, agência de fomento do Estado de São Paulo. O projeto elaborado pela Secretaria Municipal de Planejamento prevê a otimização dos espaços, criação de boxes maiores, praça central de alimentação, ampliação dos banheiros, instalação de elevadores para garantir acessibilidade, melhoria no acesso e estacionamento, criação de um novo mezanino com salão aberto que permitirá ao espaço receber eventos artístico-culturais. As características originais do prédio serão preservadas. 
 
Haverá modernização dos sistemas de hidráulica, elétrica, esgoto, telefonia, informática, revestimento e piso. O piso inferior abrigará todo o setor de hortifruti, enquanto o piso superior será reformulado para receber uma ampla praça de alimentação. A reforma também prevê espaço para implantação de uma agroindústria no local com recepção, vestiário, sala de recepção de matéria prima, sala de processamento e expedição. Por contrato, o prazo para conclusão da reforma é de um ano. 
 
Durante a reforma não haverá a necessidade de transferir os concessionários para outro prédio. Eles serão remanejados para um espaço administrativo que encontra-se desativado onde terão a oportunidade de continuar comercializando seus produtos até que a reforma seja concluída.
 
Diálogo e compromisso
O secretário municipal da Administração, Ricardo Salaro, em seu discurso, valorizou a parceria estabelecida com outras secretarias do Poder Público e os próprios comerciantes do Mercadão. “As decisões foram construídas em conjunto, com ambos os lados cedendo um pouco. Essa vontade dos permissionários e da Prefeitura com certeza foi o diferencial para que chegássemos a essa reforma”, comenta.
 
Esse diálogo franco e aberto com a Administração Municipal foi testemunhado pelos próprios permissionários, como a empresária Sun Hui Chuan Ho Chih, que possui uma banca de flores no Mercado Municipal. “A diferença é que no passado, toda vez que a gente chegava na Prefeitura [para falar sobre a reforma do Mercadão], ouvíamos do prefeito: ‘Vamos ver…vamos ver’. Na primeira vez que conversamos com o João [Cury], ele disse: ‘vamos fazer’. Então quando muita gente boa está junta entorno de um projeto, não tem como dar errado”, argumenta.
 
Mauro Lúcio Serafim, que trabalha há 16 anos com sua distribuidora de frios e laticínios no Mercadão, afirma que as obras de reforma trarão benefícios a todos, dos comerciantes até à população. “O Mercado Municipal já é conhecido pela qualidade dos seus produtos, o calor humano, e tradição. Então a gente acredita muito no potencial dele. Vi o projeto, e é muito bonito. Vai ter um pouco de transtorno no começo [com as obras], mas vai valer a pena”, garante.
 
Envolvido desde o início de concepção do projeto, o secretário municipal de Planejamento, Nelson Lara, conta que a ideia sempre foi manter as características originais do prédio sem deixar de  trazer elementos modernos a ele. “Pensamos na questão da acessibilidade, em separar a praça de alimentação do hortifrúti. Checar todas as condições de uso da parte elétrica, telefonia, hidráulica, linhas de gás e ventilação. Tudo parar trazer uma qualidade melhor aos fornecedores e usuários”, explica.
 
O vice-prefeito de Botucatu, Antonio Luiz Caldas Júnior, também fez questão de enaltecer toda a simbologia que cerca o Mercado Municipal. “Com o aparecimento das grandes redes e shoppings, a tendência era  que mercados municipais como esse pudessem desaparecer. Mas hoje, em todo o mundo, eles têm reassumido um papel que nunca deveriam ter perdido, que é o de ser um ponto de encontro das famílias. E o Mercado Municipal é uma comunidade, que não pode ficar para trás diante de toda a modernidade do comércio atual”, justifica.
 
Presente no evento, o prefeito João Cury Neto, elogiou a união de esforços das secretarias da Prefeitura e o relacionamento estabelecido com os permissionários com o objetivo de viabilizar a obra. “A Prefeitura vai pagar esse financiamento, amortizando um pouquinho por ano. O próprio Mercadão dará o retorno financeiro para o pagamento deste financiamento. Então foi uma grande engenharia que nós fizemos para anunciar essa obra que vai transformar o Mercado Municipal e a área central da Cidade. E o sentimento da maioria é o mesmo, de que finalmente o Poder Público olhou e atacou o problema com determinação. Sem perder a esperança, fazendo mais este compromisso ser honrado no final do nosso mandato”, enfatiza.

Fonte: Prefeitura Municipal de Botucatu

Scroll Up