Policial civil é levado à delegacia após se envolver em confusão com PMs em bar de Avaré

Um escrivão da Polícia Civil de Ourinhos (SP) foi levado à delegacia depois de se envolver em uma confusão com policiais militares em um bar de Avaré. O caso será investigado pela Corregedoria da Polícia Civil.

De acordo com o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada na madrugada de quarta-feira (3) para atender uma ocorrência em um estabelecimento no cruzamento das Avenidas Espanha e Três Marias. No local, os policiais disseram que havia uma aglomeração de pessoas em frente ao bar.

Ainda conforme o BO, um cliente de 48 anos contou à polícia que um homem se apresentou no bar como delegado, disse que estava armado e, em um determinado momento, sacou a arma e mostrou às pessoas que estavam no local. Depois, ele disse aos policiais que os dois se desentenderam e que o escrivão deu um tapa no rosto dele.

A Polícia Militar abordou o homem de 41 anos, que se apresentou como delegado de polícia e se negou a ser revistado. No boletim de ocorrência, os PMs relataram que o escrivão estava bastante alterado e com uma arma na cintura.

Ele foi desarmado pela equipe e, segundo a Polícia Militar, foi necessário utilizar força física moderada para contê-lo e algemá-lo.

“Ele gritava a todo momento que já havia sido policial militar e que já ganhou 3 mil por mês. Antes de ser contido, o indivíduo também afirmou que nenhum policial de ‘merda’ iria colocar as mãos em sua pessoa”, consta no registro policial.

Além disso, os policiais afirmaram na delegacia que o escrivão pediu várias vezes por seu advogado e ameaçou mandar todos o PMs para o Presídio Romão Gomes. Segundo o BO, um outro homem acompanhava o policial civil e nada de ilícito foi encontrado com ele.

Todos foram levados à delegacia e o cliente de 48 anos confirmou a versão da Polícia Militar. Já o escrivão negou as acusações e disse que “foi abordado de maneira abrupta, mesmo se identificando como policial civil, sendo algemado e colocado dentro do compartimento de presos de uma viatura sem saber o porquê”.

Conforme o BO, o homem que estava com o policial civil confirmou a versão do colega. A arma do escrivão foi apreendida, assim como as munições, e ele passou por exame de corpo de delito e verificação de embriaguez.

A Polícia Civil informou que todos os envolvidos foram liberados após o registro da ocorrência e que o caso será investigado pela Corregedoria de Avaré. Ao g1, a Delegacia Seccional de Ourinhos disse que o escrivão continua exercendo suas funções no local.

Fonte: G1 – Foto: Polícia Civil/Divulgação

Scroll Up