Polícia diz que “poeira em vidro de carro” foi o que motivou o esfaqueamento de dois jovens em Botucatu

A Polícia Civil de Botucatu revelou após investigação que uma discussão banal resultou no esfaqueamento dos dois jovens na madrugada da segunda-feira (4).


Leia Mais: Jovens são esfaqueados em Botucatu


Flavio José Dias Júnior, de 21 anos, e Geovani Dias Secani, de 19 anos, foram esfaqueados após desentendimento com outros dois rapazes.

Conforme consta no boletim de ocorrência (BO), as vítimas narraram que discutiram com seus agressores em frente à Catedral de Botucatu. Em seguida, saíram de carro rumo à casa da irmã de Flávio.  Contudo, os dois foram seguidos pelos autores do crime, que estavam no GM/Vectra. As vítimas disseram, ainda, que tiveram de parar entre a rua Vitrúvio Eduardo Faconti e a avenida Professor Adolfo Pinheiro Machado, no Jardim Cristina, porque ficaram sem combustível.

Segundo o BO, não se sabia, até então, se os dois agressores estavam munidos com facas. Geovani foi atingido na cabeça e Flávio, no peito. O caso foi encaminhado à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Botucatu, que ouviu a vítima mais nova no mesmo dia em que ocorreu o crime. O rapaz relatou que estacionou seu carro, um VW/Gol, em frente à Catedral da cidade e ficou conversando com seu colega, a outra vítima, do lado de fora.

Briga

Nesse momento, dois jovens começaram a escrever no vidro traseiro do veículo, em razão da poeira ali instalada. O dono do carro pediu para que parassem e a discussão teve início. Os agressores decidiram ir embora com o GM/Vectra. As vítimas fizeram o mesmo, só que passaram a ser seguidas pela dupla, que as “fechou” em um cruzamento do Jardim Cristina. 
Um dos suspeitos, de 22 anos, teria descido do carro e esfaqueado o jovem de 19 na cabeça. A outra vítima tentou intervir e foi golpeada no peito. O outro suspeito, de 23 anos, seria o condutor do GM/Vectra. Os dois fugiram sem prestar socorro. 

Já os dois suspeitos foram identificados, mas só o mais velho foi localizado. Ele confessou a participação no crime, mas disse que quem dirigia o carro era seu colega, também apontado como responsável pelas facadas. Diante disso, o rapaz responderá ao inquérito policial em liberdade.

Com informações JCNeT