14 de junho, 2024

Últimas:

Polícia confirma queda no mar de avião brasileiro na Argentina

Anúncios

A Polícia Civil de Santa Catarina divulgou, nesta quinta-feira (14), que o avião brasileiro que desapareceu na Argentina há uma semana caiu no mar, próximo à costa de Chubut. As autoridades traçaram um mapa com a rota da aeronave da decolagem até a queda, e as coordenadas passaram a ser usadas para as atuais buscas no país, segundo o delegado-geral, Marcos Ghizoni.

Segundo a corporação, a polícia entrou nas investigações às 21h de sexta-feira (8), data em que familiares dos ocupantes do voo fizeram um boletim de ocorrência no Estado.

Anúncios

Pelo mapa desenhado pelos investigadores da Polícia Civil, depois de avançar por 48 quilômetros em direção ao aeroporto de Chubut, na Argentina, onde os brasileiros teriam tentado pousar, a aeronave teria feito uma conversão à esquerda, e depois outra à direita, antes de cair no mar.

A polícia acredita que a queda tenha acontecido em num local próximo à costa da província de Chubut. As buscas continuam nesta quinta-feira (14), desta vez com detalhes mais próximos de onde o avião estaria.

Anúncios

Brasileiros estavam na Argentina para comemoração de aniversário de aeroclube — Foto: Redes Sociais/Divulgação
Brasileiros estavam na Argentina para comemoração de aniversário de aeroclube (Foto: Redes Sociais/Divulgação)

Sinal de celular

A Defesa Civil de Chubut confirmou, nesta quinta-feira, que a Polícia Civil de Santa Catarina detectou sinais de celular que indicariam a possível localização do avião com brasileiros que desapareceu no país vizinho há uma semana.

De acordo com José Mazzei, sub-secretário de Proteção Civil e Gestão de Riscos de Chubut, profissionais do órgão internacional fazem buscas no leste de Comodoro Rivadavia, cerca de dois quilômetros da costa.

O órgão internacional informou que o foco da procura ocorre no mar, já que a triangulação das antenas dos aparelhos indicam um ponto na água. Vinte profissionais trabalham nesta quinta.

“Estamos tratando de usar toda a tecnologia que há a disposição. Hoje, reduziu o número de pessoas que atuam nas buscas porque estamos em uma zona muito particular, que exige muita precisão com o equipamento”, afirmou.

No avião que desapareceu em 6 de abril, estavam o empresário de Florianópolis Antônio Carlos Castro Ramos, o advogado Mário Pinho e o médico Gian Carlos Nercolini. A aeronave é de pequeno porte. O último contato com a torre de controle foi ao Norte da cidade de Comodoro Rivadavia, na região da Patagônia.

Força-tarefa suspensa

Na terça (12), o governo catarinense pediu ajuda ao ministro Carlos França para dar continuidade nas buscas. Bombeiros e cães de resgate de Santa Catarina foram colocados à disposição para ajudar nos trabalhos. A força-tarefa montada para procurar os três ocupantes foi suspensa na segunda-feira (11).

“Estivemos em contato com anterioridade com a polícia [do Brasil] para pensar em estratégia de busca e entender que o melhor era adotar essa tecnologia de informação”, disse Mazzei.

Leia abaixo o comunicado do Itamaraty

“O Ministério das Relações Exteriores, por meio do Consulado-Geral do Brasil em Buenos Aires, segue acompanhando o caso, mantém contato com familiares dos desaparecidos e está em coordenação com as autoridades argentinas. Funcionário do Consulado-Geral deslocou-se a Comodoro Rivadavia, província de Chubut, para prestar apoio a familiares dos desaparecidos e acompanhar as buscas.

Apesar da suspensão da operação nacional de busca pela aeronave, após seis dias de trabalhos que envolveram equipes e recursos nos planos federal, provincial e municipal para buscas em terra, mar e ar, a Empresa de Navegação Aérea da Argentina (EANA) mantém-se em estado de alerta. Desse modo, os recursos de busca disponíveis na província de Chubut seguirão mobilizados.

Por seu lado, o Consulado-Geral em Buenos Aires seguirá prestando todo o apoio cabível aos familiares dos desaparecidos e permanecerá em coordenação com as autoridades argentinas.

Em atendimento ao direito à privacidade e em observância ao disposto na Lei de Acesso à Informação e no decreto 7.724/2012, o Ministério das Relações Exteriores não fornece detalhes sobre casos individuais de assistência a cidadãos”.

Fonte: G1

Talvez te interesse

Últimas

A Chip2Go, Fama, Licensing, e Assis Moreira Group Inc. assinaram um contrato global de licenciamento e parceria de longo prazo...

Categorias