Polícia Civil decreta prisão de casal suspeito de assassinar usuária de drogas em Botucatu

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Sete meses após o corpo de Amanda Roberta Trindade, 27 anos, ter sido encontrado em um terreno baldio na Rua Delphin das Graças Cardoso, na Vila Mariana, a Polícia Civil de Botucatu divulgou a identificação dos suspeitos do crime.

Segundo informações da Polícia, José Edson Mendes da Cruz, 44 anos, e Eliana Costa Ximenes, 28 anos são acusados pelo assassinato de Amanda, que era usuária de drogas, motivo pelo qual o crime teria sido cometido.

Segundo o Delegado Celso Olindo, a Polícia desde o inicio desconfiou que apesar do corpo não apresentar sinais de violência, tratava-se de um assassinato.

O casal que possui passagens policias por envolvimento no tráfico de drogas, nega o crime.

Corpo em Botucatu
Amanda, morta em março de 2015 ( Foto: Divulgação Polícia)

Relembre o caso

Após ficar desaparecida por cinco dias, Amanda Roberta Trindade, foi encontrada morta em um terreno baldio localizado na Vila Mariana, em Botucatu.O corpo da mulher estava parcialmente em decomposição e coberto por galhos de mamona. Com o rosto desfigurado, a vítima aparentava ter sido estrangulada.

O cadáver foi encontrado no dia 1º de março, por volta das 13h20, pelo dono da propriedade, quando ele fazia a limpeza da área. Uma equipe da Polícia Militar (PM) foi acionada para atender a ocorrência e isolar a área para o trabalho de perícia técnica.

De acordo com informações prestadas pela Polícia Civil de Botucatu, por meio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), moradores do local teriam levantado a hipótese do corpo ser de Amanda, que mora no mesmo bairro, próximo do terreno.

Uma irmã da vítima, então, foi chamada e fez o reconhecimento com base em duas tatuagens, uma nas costas e outra no ombro direito, além de um anel. Inicialmente, não havia indícios de agressão física, mas a polícia não descarta o fato da mulher ter sido assassinada, uma vez que há suspeitas de estrangulamento, pois a língua estava projetada para fora da boca.

A familiar, que mora junto com Amanda em uma residência localizada na rua Chico Brás, também na Vila Mariana, informou que a irmã estava desaparecida . No entanto, ainda não havia registrado boletim de ocorrência de desaparecimento, alegando que ela bebia muito e costumava ficar fora de casa, às vezes.

Ainda segundo a DIG, a mulher relatou à polícia que a irmã teria se envolvido em briga com uma vizinha, no dia de seu desaparecimento. Os motivos do desentendimento entre as duas, contudo, ainda são desconhecidos.

Leia Notícias (Com informações JCnet)

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes