Polícia britânica considera “terrorista” ataque com faca que deixou três mortos

A polícia britânica informou neste domingo que trata como “terrorista” o ataque com faca de sábado que deixou três mortos em um parque lotado de Reading, 60 km ao oeste de Londres.

A polícia antiterrorista pode agora confirmar que os atos, ocorridos em um parque da cidade, foram declarados como um incidente terrorista”, afirma um comunicado da força de segurança local.

Um homem de 25 anos, natural da cidade de 200.000 habitantes, foi detido pouco depois do ataque e está em prisão preventiva.

O primeiro-ministro Boris Johnson afirmou que estava “chocado e irritado porque pessoas perderam a vida desta maneira”.

“Se temos que aprender lições, vamos aprender”, declarou, antes de destacar que o governo “não hesitará em adotar medidas” quando necessário.

Além das três vítimas fatais, três pessoas ficaram gravemente feridas e estão hospitalizadas.

O chefe de Governo participou em uma reunião na manhã de domingo com autoridades da área de segurança e vários ministros em Downing Street, durante a qual foi informado sobre o avanço da investigação.

Os investigadores acreditam que o criminoso agiu sozinho, de acordo com o comandante da polícia antiterrorista, Neil Basu.

“Não procuramos mais ninguém”, disse, antes de afirmar que as razões do “ato horrível continuam incertas” e confirmar que a unidade antiterrorismo assumiu a investigação.

O nível de ameaça terrorista não foi alterado e permanece no nível “importante”, o terceiro na escala de cinco das autoridades britânicas. A população deve permanecer “vigilante”, sem alarme, afirmou Basu.

Parte da imprensa britânica afirma que o suspeito é um refugiado líbio. O jornal Daily Telegraph indica que a “saúde mental” do criminoso é considerada um “fator relevante”.

O ataque aconteceu no fim da tarde de sábado no parque Forbury Gardens.

Testemunhas citadas pela agência britânica PA relataram que um homem atacou vários grupos reunidos no parque, que aproveitam a tarde ensolarada após semanas de confinamento pela pandemia coronavírus.

“O parque estava cheio, muitas pessoas estavam sentadas para beber algo com os amigos, quando um homem chegou, começou a gritar palavras ininteligíveis de repente e seguiu em direção a um grupo de uma dezena de pessoas, tentando atacá-las com uma faca”, declarou à agência Lawrence Wort, que presenciou a cena.

“Ele esfaqueou três pessoas no pescoço e debaixo dos braços, depois virou e começou a correr na minha direção. Nós começamos a correr”, disse Wort, de 20 anos.

“Quando percebeu que não podia nos alcançar, ele conseguiu atingir uma pessoa por trás do pescoço e quando viu que todos estavam correndo, ele deixou o parque”, contou.

A polícia pediu à população que não compartilhe as imagens do ataque que circulam nas redes sociais e que as pessoas enviem os vídeos aos investigadores.

O ato aconteceu perto de um local onde havia sido organizada algumas horas antes uma manifestação do movimento “Black Lives Matter” (A vida dos negros importa), mas os organizadores e a polícia não acreditam que o ataque tem relação com o evento.

Nos últimos meses, o Reino Unido foi cenário de dois ataques considerados “terroristas”.

No fim de novembro, um extremista que estava em liberdade condicional matou duas pessoas no centro da capital, antes de ser morto pela polícia na Ponte de Londres.

Em 2 de fevereiro, três pessoas foram feridas com um ataque a facadas de “natureza islamista”, segundo a polícia, em uma rua comercial do sul de Londres. Agentes mataram o criminoso, que já tinha uma condenação por ações terroristas.

Fonte: Yahoo!