Polícia Ambiental apreende 371 aves e multa criadores em R$ 1,6 milhão em Piracicaba

A Polícia Ambiental apreendeu, na sexta-feira (28), 371 aves exóticas e silvestres mantidas irregularmente por dois criadores amadores em uma propriedade rural no bairro Serrote, em Piracicaba (SP). O valor total das multas aplicadas aos homens é de R$ 1,6 milhão.

Segundo a polícia, a equipe recebeu uma denúncia anônima contra a propriedade e, durante a fiscalização, encontrou 220 aves exóticas sem nota fiscal de origem, sendo 319 da espécie tarins, 37 pintassilgos-de-barriga-amarela, dois pintassilgos-de-gravata, um pintassilgo português, sete pintassilgos mexicanos e quatro verdilhões.

Havia também um pintassilgo silvestre sem anilha (anel de identificação) ou atestado de origem. Todas as aves estavam em gaiolas.

Os criadores relataram aos policiais que os animais são filhotes de aves que eles criavam com permissão e que já morreram. Já o proprietário do pássaro silvestre disse que a anilha caiu quando filhote e que não conseguiu mais colocá-la.

Aves mantidas em gaiolas vão permanecer com os homens multados em Piracicaba até que seja definida a destinação — Foto: Polícia Ambiental
Aves mantidas em gaiolas vão permanecer com os homens multados em Piracicaba até que seja definida a destinação (Foto: Polícia Ambiental)

No entanto, conforme a Polícia Ambiental, o pássaro não era cadastrado no Sistema de Controle e Monitoramento da Atividade de Criação Amadora de Pássaros (Sispass), que informa todos os animais que algum criador têm.

Multas

Os homens receberam três autos de infração ambiental com multa simples. Um deles terá de pagar R$ 977,7 mil e o outro R$ 632 mil. A polícia explicou que os valores variam de acordo com a espécie, classificação de ameaça em extinção e quantidade de aves apreendidas.

O criador multado em R$ 977,7 mil recebeu uma multa de R$ 977,2 mil pelos animais mantidos irregularmente e outra de R$ 500 apenas pela ave silvestre sem anilha. Além disso, teve o cadastro bloqueado no Sispass e terá de regularizar a situação.

De acordo com a corporação, os pássaros exóticos foram apreendidos, mas mantidos com os criadores como até que haja uma destinação, já que não havia local para armazenamento deles. Já uma ave silvestre foi solta no habitat natural por causa do comportamento não domesticado.

Aves estavam dentro de gaiolas — Foto: Polícia Ambiental
Aves estavam dentro de gaiolas (Foto: Polícia Ambiental)

Fonte: G1

Scroll Up