Parlamento do Paquistão destitui primeiro-ministro, Imran Khan

O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, foi destituído neste sábado (9) em uma moção de censura parlamentar, após várias semanas de crise política no país do sul da Ásia que detém armas nucleares.

O presidente interino da Câmara, Sardar Ayaz Sadiq, indicou que “a moção de censura foi aprovada”, depois de ter obtido uma maioria de 174 votos em um total de 342 lugares.

O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, durante discurso na 74ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York. — Foto: Timothy A. Clary/AFP
O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, durante discurso na 74ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York. (Foto: Reprodução)

Nenhum chefe de governo completou seu mandato no Paquistão desde a independência do país em 1947, mas Khan é o primeiro a cair por uma moção de censura parlamentar.

O Parlamento ainda não indicou quando designará o seu sucessor, embora o líder da oposição, Shehbaz Sharif, se mantenha forte como candidato a liderar o país de 220 milhões de habitantes e população majoritariamente muçulmana.

Apoiadores saúdam parlamentares da oposição que deixam a Assembleia Nacional após o voto de desconfiança contra o primeiro-ministro Imran Khan, em Islamabad, Paquistão. — Foto: Anjum Naveed/AP
Apoiadores saúdam parlamentares da oposição que deixam a Assembleia Nacional após o voto de desconfiança contra o primeiro-ministro Imran Khan, em Islamabad, Paquistão. (Foto: reprodução)

Khan, de 69 anos, tentou todos os tipos de manobras para permanecer no poder, incluindo a dissolução da Câmara. A Suprema Corte declarou o movimento ilegal na semana passada e ordenou o voto na moção de censura.

Imran Khan, uma ex-estrela do críquete (o esporte nacional) foi eleito primeiro-ministro em 2018 com a promessa de acabar com décadas de corrupção e clientelismo, mas teve que administrar uma moeda nacional fraca, inflação persistente e o peso da dívida pública.

Fonte: Yahoo!