Osasco atropela Barueri e conquista o Campeonato Paulista de vôlei pela 16ª vez

O time de Osasco não deu chances ao Barueri e conquistou o 16º título do Campeonato Paulista feminino de vôlei na noite desta terça-feira. Jogando fora de casa, a equipe da capital paulista venceu por 3 sets a 0, com parciais de 25/16, 25/17 e 25/17, e fechou a série melhor-de-três em 2 a 0.

Rachael Adams, destaque do Osasco na final do Paulista de Vôlei — Foto: João Pires/Jump
Rachael Adams, destaque do Osasco na final do Paulista de Vôlei (Foto: João Pires/Jump)

O Barueri começou o jogo com Diana, Glayce, Lorrayna, Lorena, Karina, Jackie e Laís. Do lado do Osasco, o time inicial contou com Fabiana, Rachael Adams, Tifanny, Michelle, Fabiola, Karla e Camila Brait.

Osasco começou o jogo colocando pressão nas donas da casa, em ritmo forte e ótimo sistema defensivo, abrindo 4 a 0 e já forçando Zé Roberto a pedir tempo. Osasco seguiu com melhor volume de jogo, quebrando o passe do Barueri e bloqueio implacável. Depois de ver as visitantes abrirem 6 a 0, Barueri pontuou quatro vezes na sequência – a vez de Luizomar de Moura pedir tempo.

Barueri ficou no bloqueio do Osasco no segundo jogo da final do Paulista de vôlei — Foto: João Pires/Jump
Barueri ficou no bloqueio do Osasco no segundo jogo da final do Paulista de vôlei (Foto: João Pires/Jump)

O jovem time de Barueri cometeu dois erros na sequência, e com um ace de Carla, Osasco voltou a abrir frente no placar. As anfitriãs buscaram o placar com ace de Karina e encostaram no placar, mantendo a diferença de dois pontos. Mas a experiência do time de Osasco fez a diferença e a equipe abriu 16 a 11, forçando Zé Roberto a queimar o segundo pedido de tempo. Com um ataque de Tifanny, o Osasco fechou o primeiro set em 25 a 16.

Osasco seguiu com o rolo compressor no segundo set, parando o Barueri no bloqueio e abrindo 7 a 2 – que fez Zé Roberto pedir tempo. Visivelmente abaladas, as donas da casa não conseguiam botar a bola no chão – Camila Brait jogou de forma impecável defendendo quase todos os ataques e gerando contra-ataques para o Osasco, que continuou a abrir larga frente no placar. Com 15 a 6 de mais erros bobos em sua equipe, Zé Roberto pediu tempo mais uma vez. No meio do set, Barueri esboçou reação, e mesmo com 16 a 10 para seu time, Luizomar pediu tempo para esfriar a partida. Osasco fechou o set em 25 a 17.

Barueri começou o terceiro set ainda cometendo erros não forçados enquanto o Osasco mantinha o volume de jogo com Fabíola acionando a maior parte das jogadas com Tifanny. Com 8 a 3, Zé Roberto pediu tempo tentando consertar tantos ataques para fora. Zé Roberto pediu tempo novamente com 13 a 5 para o Osasco, mas mas a equipe não conseguiu encontrar equilíbrio emocional para reagir e acabou perdendo o set por 25 a 17 com ponto de Michelle pela entrada da rede.

Destaque do time de Osasco, Tifanny comemorou o primeiro título representando a equipe.

– Fizemos um bom trabalho na pré-temporada. A gente enfrenta algumas dificuldades, como o caso da Tand (Tandara, suspensa preventivamente por doping) que não pode jogar. Nosso esporte precisa de mais apoio – seja para Barueri, seja para Osasco – comemorou a jogadora, que é ponta mas jogou como oposta.

Outra jogadora que foi decisiva para a vitória do Osasco foi Michelle.

– Elas são um time jovem, fizeram tudo o que o Zé Roberto pediu. A gente entrou focadas desde o primeiro jogo, passamos por várias dificuldades que nos fortaleceram – e esperamos contar com a Tandara em breve. A gente ainda tem muito a crescer até o fim da Superliga – analisou a ponteira.

Fonte: G1

Scroll Up