No dia em que foi solto por matar a sogra, homem procura ex para reatar e também a mata em MS

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A Polícia Civil, ao apurar o caso de feminicídio da auxiliar de secretaria Fabiana Lopes dos Santos (foto), de 37 anos, apurou que o ex-marido dela, Wantuir Sonchini da Silva, 43 anos, tentou reatar o relacionamento logo que saiu da cadeia, onde respondia pela morte da sogra. Diante da recusa, ele planejou o assassinato da vítima e a fez ir, com a própria moto, até o local do crime, segundo a polícia.

“Ela tinha 19 perfurações pelo corpo, o que demonstra o ódio do seu agressor. A investigação concluiu que o assassino foi o ex-marido dela e, para entender a história, devemos retornar ao ano de 2018, quando a Fabiana decidiu se separar e registrou dois boletins de ocorrência contra o ex, solicitando medidas protetivas que foram deferidas”, afirmou a delegada Anne Karine Trevisan, responsável pelas investigações.

Não aceitando o término e fato de não ter contato com os filhos e a própria Fabiana, ainda conforme a polícia, Wantuir foi até a residência da mãe dela, no dia do Natal, e a matou por esganadura após ela recusar a informar o novo endereço da filha.

“Ele teve a prisão preventiva deferida, ficou um tempo preso e depois, em virtude de sentença judicial, cumpriu medidas de segurança e foi solto no dia 19 de setembro deste ano. Ele então a procurou para reatar e, diante da recusa dela e ameaças que vinha fazendo, Fabiana novamente foi até a Deam [Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher] e registrou um boletim por perturbação da tranquilidade e ameaça no dia 19 de novembro”, explicou Trevisan.

Na ocasião, ainda conforme a investigação, a vítima não quis representar criminalmente contra ele, mas, solicitou medidas protetivas no dia 4 de dezembro. “Ele foi intimado das medidas protetivas pelo oficial de Justiça, porém não estava em casa. Ao chegar, a mãe dele informou do que se tratava. O homem então foi até a casa de Fabiana e, em posse de arma branca, a obrigou a segui-lo até o local do crime, isso na própria moto dela”, ressaltou a delegada.

Após o crime, ocorrido na noite do dia 4 de dezembro, na rua Evelina Selingardi, no Parque do Lageado, em Campo Grande, Wantuir fugiu. A polícia fez inúmeras buscas e ele foi encontrado morto na BR-262, município de Ribas do Rio Pardo, região norte do estado.

“Como ele morreu nós ainda temos esse prazo de 30 dias para concluir o inquérito. Ainda faltam os laudos de exame de corpo de delito, laudo necroscópico, laudo de local de crime e a certidão de óbito do autor. Quando tivermos os laudos em mãos, devemos encerrar as investigações”, finalizou a delegada.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes