Mulher de pedreiro que desapareceu em enchente em Jaú relata angústia durante buscas: ‘Parece que não vai ter fim’

A esposa do pedreiro que desapareceu enquanto pescava no último sábado (29), em Jaú (SP), um dia antes do temporal que deixou um rastro de destruição e uma pessoa morta, ainda luta para manter a esperança de rever o companheiro.

Desde o desaparecimento prestes a completar uma semana, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros da cidade iniciaram as buscar por Nivaldo Santos, de 44 anos. Porém, com a enchente que provocou o transbordamento do Rio Jaú, os trabalhos ficaram dificultados.

Mulher de pedreiro desaparecido em enchente há quase uma semana em Jaú revela ‘angústia sem fim’ (Foto: Arquivo pessoal)

A dona de casa Vera Lúcia dos Santos, mulher de Nivaldo, conta que viu o companheiro pela última vez por volta das 15h do sábado passado, quando ele saiu com dois amigos para pescar no Rio Jaú. Nivaldo foi o único que não retornou e, desde então, Vera Lúcia não tem informações.

“A gente quer encontrar ele, tem horas que ainda temos esperanças, mas está demorando muito. A gente tenta manter a esperança, mas fica difícil, porque às vezes parece que a angústia não vai ter fim”, diz a dona de casa.

Além dessa angústia pelo companheiro desaparecido, a mulher revela o desespero por ter tido casa onde mora com dois filhos também alagada na enchente do último fim de semana, quando vários móveis estragaram.

Bombeiro durante as buscas por homem que desapareceu enquanto pescava no Rio Jaú — Foto: Corpo de Bombeiros de Jaú/Divulgação
Bombeiro durante as buscas por homem que desapareceu enquanto pescava no Rio Jaú (Foto: Corpo de Bombeiros de Jaú/Divulgação)

A reconstrução fica ainda mais difícil sem a presença de Nivaldo, único que tinha emprego. A filha deles, hoje com 23 anos, nasceu com paralisia cerebral e precisa da atenção da mãe o dia todo.

“Ele [Nivaldo] ajudava a gente, com despesas, com aluguel, mas agora sem ele não sei com vamos ficar, porque eu não trabalho, só cuido da minha filha especial. A gente tá sem chão”, diz.

Até o fim da tarde desta sexta-feira (4), segundo o Corpo de Bombeiros, as buscas por Nivaldo Santos seguiam em todo o curso do Rio Jaú, que já começava a reduzir seu nível com o alívio das chuvas.

1,5 mil pessoas atingidas

Segundo balanço desta sexta-feira da Defesa Civil de Jaú, quase 1,5 mil pessoas foram impactadas pelas enchentes. A água entrou em pelo menos 592 casas.

Defesa Civil monitora nível do Rio Jaú, que voltou a transbordar na última quarta-feira — Foto: TV TEM /Reprodução
Defesa Civil monitora nível do Rio Jaú, que voltou a transbordar na última quarta-feira (Foto: TV TEM /Reprodução)

Um morador morreu afogado depois de ter tido a casa invadida pela enxurrada durante a chuva do último domingo. Edson Aparecido Saes era catador de recicláveis e morava com o filho, de 31 anos, na casa que fica na Vila São Paulo em uma área de risco para inundações. O corpo dele foi encontrado na manhã de segunda-feira (31) na rua onde ele morava.

As ações solidárias continuam em escolas, igrejas e órgãos públicos da cidade. Os itens que mais faltam são materiais para limpeza, como vassoura e rodo, além de fralda, leite e embalagens para os kits.

A Secretaria de Assistência Social já entregou roupas, produtos de limpeza e higiene pessoal para mais de 400 famílias.

Ginásio vira centro de solidariedade para as vítimas das enchentes em Jaú — Foto: Cassiano Rolim/TV TEM
Ginásio vira centro de solidariedade para as vítimas das enchentes em Jaú (Foto: Cassiano Rolim/TV TEM)

A partir da próxima semana, as doações não vão ser distribuídas no ginásio que concentra as doações. Os colaboradores da prefeitura devem levar os produtos até as famílias atingidas.

O município ainda tira a lama deixada pela enxurrada. As vistorias nos locais públicos onde houve destruição não identificaram problemas estruturais.

Desobstrução da ponte da rua Edgar Ferraz, no Centro de Jaú ficou sob responsabilidade da Secretaria do Meio Ambiente — Foto: Prefeitura de Jaú /Divulgação
Desobstrução da ponte da rua Edgar Ferraz, no Centro de Jaú ficou sob responsabilidade da Secretaria do Meio Ambiente (Foto: Prefeitura de Jaú /Divulgação)

Para evitar mais desastres em caso de novo temporal, a Secretaria de Mobilidade Urbana disse que busca licença ambiental para obras no trecho do rio próximo ao Jardim São José.

Dentre as opções estudadas para conter as enchentes está a construção de lagoas ao longo do leito do rio para conter a água da chuva.

Casa foi invadida pela enxurrada e morador morreu afogado em Jaú  — Foto: Marcelo Risso / TV TEM
Casa foi invadida pela enxurrada e morador morreu afogado em Jaú (Foto: Marcelo Risso / TV TEM)

Fonte: Yahoo!