Mulher de paraquedista recebe notícia da morte na formatura da filha

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Paraquedas não funcionou (Foto: Reprodução/TV TEM)
Alessandra Rafael Gonçalves Petelinkar (Foto: Reprodução/TV TEM)
Alessandra Rafael Gonçalves Petelinkar (Foto: Reprodução/TV TEM)

A esposa de Valderson Petelinkar, que morreu após cair de um salto duplo de paraquedas no final da tarde de domingo (6) em Vera Cruz (SP), conta que estava na formatura da escola da filha, de 4 anos, quando recebeu a notícia do acidente. “Na apresentação da formatura nós recebemos uma ligação do acidente, eu aguardei ela terminar a apresentação e em seguida retirei ela, avisei a escola e foi um choque. A gente está em choque ainda”, conta Alessandra Rafael Gonçalves Petelinkar.

Valderson, de 36 anos, era instrutor e havia saltado com o comerciante Marcelo dos Santos, de 24 anos. Segundo a polícia, as vítimas são de Bauru (SP) e Pederneiras (SP). Eles caíram em uma área de pastagem dentro de uma chácara perto do aeroporto da cidade, de onde a aeronave havia decolado para os saltos.

Valderson saltava de paraquedas há 20 anos, era instrutor formado e apaixonado pelo esporte, segundo Alessandra. “O Val saltava há muitos anos, desde os 16, 17 anos. Tem mais de 3 mil saltos, um menino muito experiente. Se formou, tem licença, carteirinha. Foi uma fatalidade. A gente não estava esperando uma situação dessa ainda mais próximo do natal”, lamenta.

O amor pelo paraquedismo começou ao lado do pai, o também paraquedista Valdir Petelinkar.  Ele fazia parte de um grupo de paraquedismo “Os Cavaleiros do Vento”.  No domingo, ele teria feito três saltos e no quarto, quando estava com o Marcelo dos Santos, de 24 anos, aconteceu o acidente.

Era a primeira vez que o comerciante de Pederneiras saltava. Segundo a família de Marcelo, que preferiu não gravar entrevista, ele sonhava em saltar de paraquedas e neste fim de semana foi até Vera Cruz para realizar o sonho.

Equipamento não abriu

Valderson Peterlinker (Foto: Reprodução/TV TEM)
Valderson Peterlinker (Foto: Reprodução/TV TEM)

A dupla saltou do avião a 4,5 mil metros de altura e o paraquedas abriu trinta segundos depois, mas de acordo com pessoas que acompanhavam o salto, o equipamento teria falhado e os dois começaram a rodopiar no ar.  Eles caíram em um descampado, que fica a três quilômetros do aeroporto de Vera Cruz. Segundo a polícia, antes de atingir o chão, eles bateram em uma árvore. Os amigos tentaram reanimar os dois, mas Valderson e Marcelo morreram antes da chegada do socorro.

No domingo à noite a perícia esteve no local do acidente e recolheu o paraquedas. De acordo com o delegado de Vera Cruz, Alessandro Kobayashi, o instrutor tentou abrir o paraquedas reserva, mas não conseguiu a tempo de evitar a queda. “Aparentemente ele tentou acionar o paraquedas principal, que por algum motivo, ele não abriu corretamente. Ele também tentou abrir o paraquedas reserva que acabou não sendo acionado.”

A Polícia Civil já abriu inquérito pra tentar descobrir o que aconteceu logo após o salto da dupla. Um laudo da perícia, que deve ficar pronto em até trinta dias, e deve indicar o que provocou o acidente.  “Vamos aguardar o laudo pericial, ouvir algumas testemunhas, pedir informações para a federação de paraquedismo e outros órgãos para verificar o que realmente ocasionou o acidente. Se foi alguma falha no equipamento, se alguma pessoa passou mal”, explica o delegado.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes