Mudança de ideia: Como alterar um financiamento imobiliário?

Veja o que pode ser feito se você precisar alterar o seu financiamento.

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O financiamento imobiliário é concedido com um único objetivo: a compra de um imóvel. Diferente de um empréstimo pessoal, se você mudar de ideia, não poderá aplicar o dinheiro em outro bem, como um carro.

A situação pode parecer rara, mas não é impossível que alguém desista dessa forma de financiamento, ou melhor, da ideia de comprar a casa própria. Você sabe o que fazer caso isso aconteça? Confira o que pode ser feito e se é possível alterar o financiamento imobiliário.

Conhecimento de direitos

Antes de buscar uma alternativa para alterar ou cancelar o financiamento imobiliário, você deve conhecer quais são os seus direitos. Procure pelo contrato assinado com a instituição financeira e releia as cláusulas. Ali, estará descrito o que você pode ou não fazer e até quando.

Com essa informação em mãos, procure o banco em que o financiamento foi feito e, se necessário, também consulte o Código de Defesa do Consumidor, caso não consigam chegar a um acordo.

Cancelamento do contrato

Se não há mais a intenção de comprar um imóvel, e você não tem interesse em continuar com o financiamento, a melhor alternativa pode ser o cancelamento. Isso se torna ainda mais atrativo se o parcelamento está pesando no seu orçamento.

Não se trata de uma prática comum, mas se houver acordo entre você e a instituição financeira, é possível. Assim, o primeiro passo é procurar o banco e negociar. Vale comentar que o tempo para realizar o cancelamento depende do que está no contrato, por isso é tão importante lê-lo antes de assiná-lo.

Transferência da dívida

A transferência da dívida acontece quando você vende um imóvel financiado sem ter terminado de pagar todas as parcelas do financiamento. É uma prática comum, mais acessível que o cancelamento. Nela, outra pessoa irá arcar com o restante do valor, sendo útil quando você não deseja mais ser dono do imóvel.

Para isso, será preciso entrar em contato com a instituição financeira que fez o empréstimo para explicar a situação e elaborar um novo contrato, que estará no nome da pessoa que irá assumir a dívida.

Pausa do financiamento

Um financiamento habitacional feito com a Caixa Econômica Federal pode ser pausado por até 180 dias. Antes, o prazo máximo era de 120 dias, mas foi prorrogado por mais 60, para ajudar quem esteja passando por dificuldades financeiras. São até 6 meses em que você pode se organizar para voltar a arcar com o financiamento.

Qualquer pessoa que esteja em dia com as parcelas ou com, no máximo, 180 dias em atraso poderá solicitar a pausa. Quem já havia feito isso, pode solicitar a prorrogação por mais 60 dias. A solicitação pode ser feita pelo aplicativo da Caixa ou pelo telefone.

Portabilidade de crédito

Esta opção é indicada para quem mudou de ideia ao perceber o quanto os juros do financiamento estão altos e as parcelas estão pesando no orçamento. Em vez de cancelar ou transferir a dívida, se ainda há interesse em permanecer com o imóvel, você pode realizar a portabilidade.

Neste caso, procure por outras instituições financeiras que trabalham com financiamento de imóveis e veja se há opções melhores que a atual. Assim que encontrar uma alternativa, solicite a portabilidade e pode ficar tranquilo, já que as informações são trocadas entre os bancos.

Estas são as opções que você tem caso mude de ideia e desista do financiamento imobiliário. Não há como usar o dinheiro para outra finalidade, até porque, você já deve ter adquirido o imóvel — que até o fim das parcelas, pertence ao banco. Então, veja qual dessas alternativas é mais interessante e converse com a instituição financeira, em busca de um acordo que beneficie ambas as partes.

Conteúdo Produzido para o Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes