Morre cão ‘Baruk’ uma semana após ser baleado por vizinho em Piracicaba

O cão Baruk, baleado por um vizinho em Piracicaba (SP), morreu na tarde deste domingo (10) após apresentar problemas respiratórios. Depois de ferido com um tiro de calibre 38 no último dia 3 de julho, o animal, que tinha cerca de dois anos e meio de idade, passou por cirurgia para retirada do projétil e teve alta. Apesar dos sentimentos de tristeza e indignação, o tutor do cão, o apicultor Vitor Celso da Silva, espera que o tempo o ajude a se conformar.

Leia Mais:

Cirurgia de cão baleado por vizinho em Piracicaba é bem-sucedida: ‘Por milímetros não atingiu região vital’, diz veterinário

Liberado após pagar fiança, ex-PM que atirou em cão em Piracicaba é proibido de residir em casa por 6 meses e de se aproximar de vizinho

Ex-PM é preso após balear cachorro do vizinho em Piracicaba; estado do animal é grave, diz CCZ

“Não vamos guardar esse ódio no coração. Entrego nas mãos de Deus porque, da justiça divina, ele não escapa”, disse o tutor sobre o autor do crime.

O corpo do animal passará por exames e autópsia para atestar as causas da morte. Os laudos, segundo afirmou o veterinário que cuidou do Baruk, Matheus Santos, devem ficar prontos nesta segunda-feira (11).

Cão Baruk tinha tudo alta e tinha voltado à casa onde morava com tutores em Piracicaba  — Foto: Vitor Celso da Silva/Arquivo pessoal
Cão Baruk tinha tido alta e voltado à casa onde morava com tutores em Piracicaba (Foto: Vitor Celso da Silva/Arquivo pessoal)

O tutor do Baruk contou que estava muito feliz com a volta do cão para casa. Ele estava se recuperando bem, segundo o dono do animal, mas teve uma recaída, passou mal e morreu a caminho da clínica veterinária.

“Agora, se completa ainda mais a minha indignação com o que esse homem fez com o Baruk dentro do meu quintal. Espero que meu cão descanse da dor que estava sentindo e que, daqui para frente, consigamos nos conformar para jamais queiramos pagar o mal com o mal,” disse o apicultor.

No sábado (9), o tutor levou o cão novamente para acompanhamento com o veterinário. “Achei que o Baruk estava meio triste, sem querer comer. Chegando lá, ele tomou os medicamentos e teve uma reanimada. Fiquei feliz com a recuperação que demonstrou. Mas, neste domingo, ele voltou a passar mal e morreu quando meu filho o levava para clínica”, relatou.

Fonte: G1