Mistério em torno de água rosa no mar da Califórnia é resolvido

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Conhecidas no mundo todo, as praias da Califórnia, nos Estados Unidos, estavam com águas cor-de-rosa esta semana, o que intrigou alguns moradores de localidades turísticas como as praias de Malibu, Santa Monica e Venice.

É comum que autoridades da região proíbam os banhistas de mergulharem nas praias após as chuvas, em função da grande quantidade de agentes contaminantes que fluem para o mar. Mas, desta vez, pesquisadores do Instituto de Oceanografia Scripps de San Diego desenvolveram uma tinta que não suja e mostra exatamente para onde essa poluição está indo, a fim de lidar melhor com esse cenário.

“No sul da Califórnia, como em muitos outros lugares do mundo, temos um problema com a qualidade das águas costeiras”, disse Falk Feddersen, especialista do Instituto Scripps, em entrevista à BBC.

Com os dados disponibilizados no estudo, os cientistas conseguem mapear a contaminação, rastreando por onde a substância rosa se propaga, da Califórnia até o estado de Tijuana, no noroeste do México. Assim, as autoridades no futuro esperam poder orientar melhor a população quanto aos níveis de poluição.

“Quando chove, e até quando não chove, há ocasiões em que as praias se contaminam com substâncias tóxicas e é preciso fechá-las ao público. Estas substâncias se movem em direções diferentes e se dissolvem na água. Com este estudo, o que queremos saber é como esta contaminação evolui”, acrescentou Feddersen.

Hoje em dia, a avaliação da água demora pelo menos 24 horas para ser realizada. “Às vezes, uma praia fica aberta durante 24 horas esperando o resultado destas amostras, quando na verdade a água não está imprópria para banho. Ou o contrário: às vezes se ordena o fechamento de uma praia depois de uma chuva quando talvez o mar não esteja contaminado.”

A expectativa de Feddersen é um dia disponibilizar a todos os cidadãos a consulta online a respeito da qualidade da água. “Os problemas de qualidade da água ocorrem em qualquer lugar em que haja uma grande concentração humana, já que muitos contaminantes acabam no mar. Esperamos que nosso estudo possa ser aplicado em praias do mundo todo”, afirmou.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes