Massa vê evolução no carro e aponta Williams como terceira força do grid

A Fórmula 1 encerrou sua pré-temporada nesta sexta-feira, em Barcelona, na Espanha. Para Felipe Massa, uma pré-temporada proveitosa. Terceiro mais veloz do dia com 1m23s644 (pneus supermacios), o brasileiro da Williams terminou com o sexto melhor tempo no apanhado geral dos oito dias de testes, com a marca de 1m23s193 anotada no dia anterior, de pneus macios. O veterano, que se revezou nas atividades com seu companheiro de equipe Valtteri Bottas, fez um balanço positivo do FW38, modelo da Williams para 2016.

– Eu vi o carro evoluir bastante desde o primeiro dia que andei na semana passada até agora, no último dia desta semana. Sem dúvida fizemos um bom trabalho, fizemos o carro evoluir e o entendemos melhor. Acho que o trabalho foi bem feito por todos os engenheiros e por todos os mecânicos, andar o máximo possível e obter um bom resultado no final. Então estou feliz com os testes. Lógico que na primeira corrida é que vamos ter certeza de onde estamos em comparação com os outros carros. É onde conta, é onde esperamos começar bem. Então tomara que o trabalho tenha sido bem feito para que no final do dia, no domingo (de corrida) eu possa estar sorrindo como estou agora.

Ciente da superioridade de Mercedes e Ferrari, grandes destaques da pré-temporada, Massa acredita que a Williams tem potencial para se consolidar como terceira força do grid em 2016, posição que ocupou no ano anterior:

– Bom, se eu tivesse de fazer uma aposta, eu colocaria a Mercedes na frente, a Ferrari em segundo e acho que temos uma grande chance de estar em terceiro. É no que eu apostaria. Mas sabemos que é sempre difícil ter uma certeza clara, e vamos ver se isso é o resultado final – o que já é um resultado positivo -, mas nós sem dúvida queremos mais.

O brasileiro contou ainda que a Williams ainda estreará novidades no carro na abertura da temporada, no GP da Austrália, de 18 a 20 de março:

– Há mudanças para o carro. Mudança na carroceria – na parte traseira – que devemos usar na Austrália, além de alguns detalhes pequenos, e uma mudança interessante que é a asa dianteira, mas que ainda precisamos passar no “crashtest” (da FIA), para ter a certeza que podemos usá-la. Então temos que esperar isso acontecer e espero que possamos usar o mais rápido possível porque é bom para o carro.

Massa ressalta que o principal ponto que a Williams precisa evoluir no FW38 é na parte aerodinâmica:

– Melhorou um pouco, mas ainda tem o que melhorar. O trabalho que a gente vem fazendo é para isso. Melhoramos o carro, que tem agora mais carga aerodinâmica. Com isso não esperávamos ser tão rápidos quanto os outros, mas ainda somos os mais rápidos na reta. Então isso mostra que tem mais trabalho naquele lado, tem mais carga aerodinâmica para incrementar no carro, e a sabemos que isso acontecendo o carro fica mais competitivo.

Fonte: G1