Mãe e filha morrem soterradas na Bahia; número de vítimas sobe para sete

Uma idosa e a filha dela foram encontradas mortas neste domingo (12), na zona rural de Amargosa, no Recôncavo baiano. Elas estavam desaparecidas desde a madrugada de sábado (11), quando a casa em que elas moravam foi soterrada. O acidente aconteceu após um deslizamento de terra causado pelo acúmulo de água na região de Ribeirão dos Caldeirões.

Com esses dois casos, o número de vítimas mortas em decorrência da chuva na Bahia sobe para sete. As vítimas foram identificadas como Elita Pereira, de 80 anos, e Eliana Pereira, de 40. Elas foram encontradas por moradores, que também ajudam nas buscas.

O Corpo de Bombeiros e os moradores seguem à procura do marido da idosa e pai de Eliana. O homem identificado como Gildásio Ribeiro, de 89 anos, também estava no imóvel no momento do soterramento.

Os corpos de Elita e Eliana foram removidos com o auxílio de agentes da Guarda Civil Municipal, além de servidores da Secretaria de Infraestrutura, e levados para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde serão periciados.

A situação de calamidade por causa das chuvas no sul e extremo sul da Bahia começou a cerca de uma semana. O temporal que atinge as regiões é causado pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é uma faixa de nuvens que se estende desde o sul da região amazônica até a região central do Atlântico Sul.

Após temporal, casa é soterrada na zona rural de Amargosa na BA — Foto: Marcos Claúdio
Após temporal, casa é soterrada na zona rural de Amargosa na BA (Foto: Marcos Cláudio)

Também neste sábado, o prefeito decretou situação de emergência em Amargosa. Júlio Pinheiro disse que diversas comunidades da zona rural estão ilhadas com estradas danificadas.

“De acordo com dados que recebemos, choveu 200 mm em apenas quatro horas. O acumulado de chuvas entre novembro e dezembro é já representa o maior volume de chuva dos últimos 50 anos em Amargosa. Estamos desde cedo nas ruas trabalhando na busca das pessoas em situação de risco. Estamos acolhendo os desabrigados nas escolas municipais”, disse.

Fonte: G1