Mãe de adolescente terá que indenizar clientes enganados com falsa viagem, em Botucatu

Um adolescente de 17 anos vendeu viagens com preço abaixo do mercado e não conseguiu cumprir o contrato em Botucatu. Dezenas de pessoas pagaram por excursões, mas, na hora de viajar, os ônibus e a pessoa que vendeu os pacotes não apareceram. A polícia investiga se o menor tentou aplicar um golpe nos clientes.

Professor organizou viagem com alunos (Foto: Reprodução / TV TEM)
Professor organizou viagem com alunos (Foto: Reprodução / TV TEM)

Neste fim de semana adolescentes que fariam uma viagem de formatura sofreram um “golpe”. O professor Everton de Oliveira organizou uma excursão com os alunos para um parque aquático em Olímpia, o problema é que a empresa que vendeu os pacotes recebeu mais de R$ 4 mil e não fez a viagem. “O primeiro sentimento foi vergonha em relação aos alunos, aos pais que confiaram os seus filhos para viajar comigo. Também pela ética profissional, já que muitos pais desacreditaram em mim.”

Ainda no final de semana a mesma empresa também deixou na mão um grupo que pagou por uma excursão para um parque de diversões em Campinas. Com cartazes colados pela cidade, a “G. A. Empresa de Turismo” oferece preços abaixo do mercado.

Na manhã desta terça-feira (8), a sede dela,  que funciona nos fundos de uma casa no centro, estava fechada. Pela janela, é possível ver o escritório onde funciona a agência. O registro da empresa na Receita Federal, é para outras atividades, como organização de feiras e edição de revistas. Segundo os clientes, um menor, de 17 anos, responde pela empresa de turismo. Ele teria falsificado um documento de identidade.

A mãe do adolescente confirmou a falsificação e se comprometeu a devolver o dinheiro dos clientes até o final de fevereiro. Por telefone, a produção da TV TEM tentou falar com a família do menor, mas não foi atendida.

Os boletins de ocorrência foram registrados no primeiro Departamento de Polícia de Botucatu. Como são mais de 50 pessoas lesadas, o delegado responsável pelo caso passou a tarde inteira registrando caso por caso antes de começar a investigação.

O menor foi ouvido na delegacia de Botucatu. A mãe disse que a intenção do filho não era dar o golpe e se comprometeu a  pagar todos que tiveram prejuízo. O menor pode responder pelo ato infracional de estelionato.

Fonte: G1

Scroll Up