Justiça da Colômbia endossa extradição para os EUA de chefe do narcotráfico

A Justiça da Colômbia endossou a extradição para os Estados Unidos do narcotraficante “Otoniel”, detido em uma prisão de Bogotá, após a decisão desta quarta-feira de um tribunal superior.

“A Suprema Corte de Justiça emite um conceito favorável à extradição do cabeça do ‘Clã do Golfo’ Dairo Úsuga, ou ‘Otoniel’, para os Estados Unidos por crimes de tráfico de drogas”, anunciaram os juízes no Twitter.

A entrega daquele que é considerado o maior chefe da máfia deste século depende agora da aprovação do governo de Iván Duque, que já antecipou sua intenção de extraditar Otoniel.

Dairo Antonio Úsuga foi preso em outubro de 2021, durante uma megaoperação policial em uma área de selva colombiana próxima do Panamá. Até então, ele comandava o Clã do Golfo, responsável por 30% (cerca de 300 toneladas) das exportações de cocaína do maior produtor mundial dessa droga.

Dairo Antonio Úsuga foi preso em outubro de 2021 (Foto: Reprodução)

Desde 2009, uma corte do Distrito Sul de Nova York o exige por tráfico de drogas. A Justiça colombiana também acusa o chefe, 50, de homicídio, terrorismo, recrutamento de menores e sequestro, entre outros crimes que teria cometido quando era guerrilheiro e paramilitar, antes de se tornar o narcotraficante mais procurado do país.

Se for condenado nos Estados Unidos, Otoniel terá que pagar por seus crimes na Colômbia. O tribunal se reservou o direito de processar Otoniel no futuro “por crimes cometidos no país”.

Apesar de os Estados Unidos terem apoiado a Colômbia em quase meio século de luta contra as drogas, o país ainda sofre com a violência ligada a essa atividade ilegal. Vários cabeças do narcotráfico foram extraditados e condenados nos Estados Unidos, sem que isso tenha significado o fim das máfias.

Fonte: Yahoo!