França proíbe uso do termo “carne” em alimento à base de planta; presidente da SP-Agro elogia

Deputado Fernando Cury (União Brasil) tem projeto semelhante tramitando na Assembleia Legislativa de São Paulo

O governo da França publicou decreto em que proíbe o uso de palavras como “carne”, “bife” e “salsicha” em alimentos proteicos à base de planta (plant based). A justificativa é não confundir o consumidor. O presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio Paulista (SP-Agro), o deputado estadual Fernando Cury (União Brasil), defende a medida.

“O decreto protege o produtor rural, o homem do campo e o agronegócio de propaganda enganosa. Nossos produtores de proteína animal merecem ter seus produtos valorizados”, comenta o presidente da SP-Agro.

Fernando Cury é o autor do projeto de lei nº 273/2022, em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, que também proíbe termos do mercado de proteína animal, como carne, em produtos de origem vegetal e/ou mineral.

“O projeto de lei que propus visa garantir que seja atribuída a informação correta, sendo justo com a cadeia produtiva de carne e com o consumidor”, afirma.

O PL da Carne, como foi batizada a proposição, está na Comissão de Constituição, Justiça e Redação. Ainda vai passar pelas comissões de Atividades Econômicas e de Finanças, Orçamento e Planejamento, antes de ir ao plenário.

Assessoria de Comunicação do Deputado Fernando Cury