França: militantes contrários ao passaporte sanitário picham monumento de heróis da 2ª Guerra

O presidente francês, Emmanuel Macron, descreveu nesta segunda-feira (13) os danos ao Mont Valérien, no oeste de Paris, como “um insulto à memória dos nossos heróis e da nação”. O monumento em homenagem aos membros da Resistência francesa na Segunda Guerra Mundial foi vandalizado na noite de domingo para segunda-feira (13).

Na pichação, a inscrição “AntiPass”, em referência aos franceses contrários à adoção do passaporte sanitário, os dois “s” são desenhados para lembrar as iniciais “SS”, que designavam polícia nazista fundada em 1925 para a proteção pessoal de Adolf Hitler. A Schutzstaffel se tornou uma das principais organizações do regime nacional-socialista alemão.

“Desonrar este lugar sagrado da República é acabar com o que nos une. Os responsáveis serão encontrados e julgados”, acrescentou o presidente, em um tuíte.

A inscrição no Memorial da França Combatente, inaugurado pelo general Charles de Gaulle em 1960 em Suresnes, na região metropolitana de Paris, tem 50 metros de comprimento, disse a polícia. “O secretário de Segurança Pública condena com maior firmeza a degradação feitas nesse local, símbolo da França resistente e combatente. As forças policiais estão mobilizadas para identificar e encontrar os autores”, reagiu a secretaria de Segurança Pública da região.

A ministra encarregada da Memória e dos Veteranos, Geneviève Darrieussecq, anunciou que pretende apresentar, nesta segunda.feira (13), “uma denúncia em nome do ministério das Forças Armadas”.

Fonte: Yahoo!