Forte chuva em Petrópolis causa inundações, arrasta carros e provoca queda de barreiras; já são 23 mortos

Fortes chuvas em Petrópolis, Região Serrana do Rio, deixaram ao menos 23 mortos na tarde desta terça-feira (15), segundo o comando do Corpo de Bombeiros. O Centro da cidade ficou inundado e os corpos apareceram depois que o nível do rio desceu. Houve ainda um deslizamento no Morro da Oficina, no bairro Alto da Serra.

Em nota, a Defesa Civil da cidade disse que atua nas ocorrências e decretou estágio de crise na região. O órgão disse ainda que, até o começo da madrugada desta quarta (16), 77 pessoas se encontravam acolhidas nos pontos de apoio que funcionam em escolas da cidade.

Forte chuva em Petrópolis causa inundações (Foto: Reprodução/Redes sociais)

A Prefeitura decretou estado de calamidade pública e informou que as equipes dos hospitais foram reforçadas para o atendimento de vítimas. Ainda não há número de feridos.

Em boletim emitido no por volta de 1h desta quarta, Defesa Civil informou que não há núcleos de chuva significativos atuando na cidade, e também não houve registro de chuva significativa nas últimas duas horas.

“O maior registro horário é de 125.8 mm/h às 17h15 no pluviômetro Alto da Serra (INEA). No São Sebastião, o acumulado pluviométrico em 6 horas chegou a 259.8mm às 21h10”, disse em nota.

No final da tarde, a força da correnteza arrastou carros e assustou pedestres e comerciantes. O Batalhão de Choque foi mobilizado para ajudar com a segurança depois de notícias de saques na cidade. Mas a Polícia Militar disse que não ocorreram saques e nem arrastões no Centro.

“Quanto aos vídeos que estão sendo divulgados, estamos verificando a veracidade dos fatos, sendo apurado até o momento que aquelas pessoas que circulavam no Centro seriam moradores de rua que aproveitaram para recolher alguns artigos que estavam na enchente provocada pela chuva”, divulgou a PM.

A chuva também provocou queda de barreiras em diferentes pontos. Ainda não há informações sobre número total de vítimas soterradas.

Devido ao grande volume de água, a Defesa Civil passou a cidade para Estágio Operacional de Alerta e acionou o primeiro toque das sirenes do primeiro distrito, situadas nos bairros Alto da Serra, 24 de Maio, Vila Felipe, Campinho, Chácara Flora e Dr. Thouzet.

Chuva deixa rastro de destruição em Petrópolis — Foto: Arte g1
Chuva deixa rastro de destruição em Petrópolis (Foto: Arte g1)

Nível das chuvas ultrapassou esperado para o mês inteiro

Foram registradas pela Defesa Civil 176 ocorrências, sendo 148 deslizamentos de terra e diversos pontos de alagamentos. Em seis horas, choveu mais que o esperado para o mês inteiro, e o índice de chuva chegou a 259 milímetros.

A maior incidência de deslizamentos ocorreu nos bairros: Centro, Quitandinha, Caxambu, Alto da Serra e Castelânea.

O rio transbordou no Centro, e a velocidade com que a água subiu pegou motoristas de surpresa, que não tiveram tempo de escapar da inundação.

Uma barreira atingiu os fundos de um prédio no Centro, mas até o momento não é informações sobre vítimas no local. A chuva também deixou ruas destruídas na cidade.

Barreira desliza atrás de prédio em Petrópolis, RJ, após chuvarada na tarde desta terça-feira (15) — Foto: Reprodução/Redes sociais
Barreira desliza atrás de prédio em Petrópolis, RJ, após chuvarada na tarde desta terça-feira (15) (Foto: Reprodução/Redes sociais)

Outro ponto afetado no Centro foi a Rua da Imperatriz, que ficou totalmente alagada. Nela se encontram prédios históricos, como o Museu Imperial.

A Defesa Civil informou que os pontos de apoio para acolhimento de moradores em área de risco foram abertos.

“Agentes da Defesa Civil e CPTrans atuam em diversos pontos da cidade por conta de inundações e alagamentos em função da forte chuva que afeta a cidade no momento. As ruas Coronel Veiga (entre Duas Pontes e Ponte Fones), o Centro (nos acessos à rua General Osório e Silva Jardim), na Rua Bingen, na Praça Pasteur estão com trechos bloqueados para acesso”, informou a Prefeitura em nota.

Carros ficaram submersos no Centro de Petrópolis nesta terça-feira (15) — Foto: Reprodução redes sociais
Carros ficaram submersos no Centro de Petrópolis nesta terça-feira (15) (Foto: Reprodução redes sociais)

No twitter, o governador Cláudio Castro falou sobre a situação na cidade.

“Estou em Barra Mansa com as agendas do Governo Presente no Médio Paraíba, mas atento aos danos que as chuvas estão causando em Petrópolis. Acabei de falar com o prefeito Rubens Bomtempo e orientei que parte dos secretários se desloquem para apoiar a população no que for preciso”.

Em nota à imprensa, Castro anunciou que está a caminho do município para acompanhar os trabalhos na região.

O prefeito Rubens Bomtempo também se manifestou via redes sociais. Ele havia acabado de chegar em Brasília e anunciou seu retorno para lidar com a situação de emergência causada pelas chuvas.

Água invade prédio no Centro de Petrópolis — Foto: Reprodução redes sociais
Água invade prédio no Centro de Petrópolis (Foto: Reprodução Redes Sociais)

Aulas suspensas

Devido ao temporal, a Secretaria de Educação informou que as aulas da rede municipal de ensino estão suspensas nesta quarta-feira (15) e que equipes da Secretaria e da Defesa Civil (DC) estão acompanhando a situação das 187 unidades e dando o suporte necessário.

Leia a íntegra da nota do Governo do RJ

“O governador Cláudio Castro cancelou sua agenda no programa Governo Presente Médio Paraíba devido às fortes chuvas que atingem a cidade de Petrópolis desde a tarde desta terça-feira (15/02). O governador está a caminho do município da Região Serrana para acompanhar os trabalhos do Corpo de Bombeiros e outros órgãos estaduais.

Até às 20 horas, 120 bombeiros do quartel da cidade já estavam nas ruas e 60 militares seguem em deslocamento para Petrópolis.

Estão sendo enviadas oito ambulâncias para a cidade para atuar no socorro às vítimas.

Dez aeronaves foram disponibilizadas para chegar à cidade na manhã desta quarta-feira.

O 26º BPM (Petrópolis) atua em apoio na operação na cidade em auxílio a órgãos municipais.

Às 22h haverá uma reunião no quartel de Petrópolis com órgãos do Governo do estado para alinhar ajuda em conjunto para intensificar as ações de salvamento.”

Fonte: G1