Família do pai de Ísis Helena cobra punição para a mãe da menina

O corpo da menina Ísis Helena, encontrado pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (29), enterrado nas proximidades de uma ponte na zona rural de Itapira (SP), após uma indicação da mãe da criança, que está presa por envolvimento no crime, foi sepultado no final da tarde no cemitério na cidade. As informações são da Record TV.

A família do pai da bebê de dois anos – que estava desaparecida havia 50 dias até a descoberta da sua morte, após a confissão da mãe, Jennifer Natalia Pedro, de 21 anos – disse, em entrevista ao programa Cidade Alerta, que mantinha esperanças em reencontrar Ísis Helena ainda viva e jamais imaginaria ser informada sobre o paradeiro da menina em uma cova à beira de um rio.

“Hoje, o nosso sentimento é de muita mágoa, muita tristeza. É inacreditável. Impossível pensar que uma pessoa fez isso por você com 59 dias. O que ela fez, eu não sei. Mas o proprósito que alcançou foi destruir a minha familia. Ela acabou com a vida do meu sobrinho, da minha irmã. É um vazio. Ela foi muito cruel e tem que pagar”, declarou Valéria, tia do pai da menina.

O advogado Roberto Guastelli, que representa a família do pai da criança, se mostrou surpreso com a frieza de Jennifer e o desfecho do crime, classificado por ele como uma barbárie. “Uma pessoa extremamente fria, calculista, não teve nenhuma responsabilidade de dar um enterro digno para a filha. Isso é uma barbaridade”, comentou.

Nova confissão da mãe

A mãe de Ísis indicou precisamente o local onde enterrou o corpo da filha. A cova havia sido feita debaixo de uma das pontes sobre o rio do Peixe, por onde, todos os dias, equipes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e voluntários – utilizaram barcos e até um sonar para localizar vestígios do corpo – passavam a pé nas buscas pela menina. O local é de terra vermelha, compacta e a cova não era rasa. 

Fonte: R7

Scroll Up