01 março, 2024

Últimas:

EUA tomam medidas ante ‘aumento alarmante’ do trabalho infantil

Anúncios

O governo dos Estados Unidos anunciou, nesta segunda-feira (27), medidas para combater o trabalho infantil, que aumentou 69% desde 2018 e que afeta principalmente os imigrantes latinos menores de idade que chegam sozinhos ao país.

“Não se trata de um problema do século XIX, e sim de um problema atual”, alertou o secretário do Trabalho, Marty Walsh, ao anunciar novas medidas, que vão de mais controles nos locais de trabalho até o aumento das multas às empresas que usarem menores em cadeias de produção e trabalhos perigosos.

Anúncios

No último exercício fiscal, foram investigadas 835 empresas, que empregavam 3.800 menores. “É uma tendência alarmante”, declarou hoje uma funcionária do governo americano.

As multas máximas, de US$ 15.138, “não são altas o suficiente para dissuadir as grandes empresas”, reconheceu Walsh, cuja pasta trabalha com o Congresso para aumentá-las.

Anúncios

Existem no país 600 investigações em andamento por essa causa. A legislação dos Estados Unidos permite o trabalho a partir dos 14 anos, mas com limitação de horas para os menores de 16 anos, e em trabalhos que não prejudiquem a saúde.

O problema se agravou com a chegada ao país de menores latino-americanos desacompanhados, que, muitas vezes, acabam com parentes distantes ou em crise financeira, ou com padrinhos que os assumem e os obrigam a trabalhar para contribuir com a renda da família.

Cadeias de produção extenuantes, hotéis, fazendas leiteiras ou agricultura: o jornal “The New York Times” (NYT) denunciou neste fim de semana as condições de trabalho de muitos menores imigrantes, a maioria procedente da América Central.

No último ano, chegaram ao país 130 mil menores desacompanhados, um número que aumentou consideravelmente após a pandemia, destacou o jornal. Apesar de o governo federal saber da sua existência e de que as instituições devem apoiá-los e protegê-los do tráfico e da exploração, estas últimas perderam o rastro de mais de 86 mil menores, segundo o NYT.

O secretário de Saúde Xavier Becerra reclamou que, “com bastante frequência, as empresas afirmam que suas agências de colocação ou empresas terceirizadas são as responsáveis. Aqui, somos todos responsáveis.”

O governo de Joe Biden trabalha com o Congresso para destinar mais fundos e funcionários aos programas de inspeção nas empresas e de acompanhamento dos menores e de seus padrinhos ou famílias adotivas.

Fonte: Yahoo!

Últimas

Líderes do mercado de bem-estar unem forças: The DRIPBaR reforçado pela REVIV

01/03/2024

Anúncios The DRIPBaR, reconhecida como a franquia de terapia intravenosa de crescimento mais rápido nos Estados...

Categorias