20 de maio, 2024

Últimas:

Estudantes deixam adolescente seminua após a agredirem com socos e puxões de cabelo em escola no interior de SP

Anúncios

Duas estudantes agrediram uma adolescente de 15 anos com socos nas costas, puxões de cabelo e a deixaram seminua dentro da Escola Estadual “Maria Matilde Castein Castilho”, em Glicério, interior de São Paulo. A agressão foi registrada nesta terça-feira (26).

Segundo apurado pela reportagem, as alunas estavam conversando, quando a briga e as agressões começaram. A vítima foi arrastada pelos cabelos e recebeu socos, antes de ter a blusa arrancada por uma das estudantes.

Anúncios

Estudantes agridem aluna de 15 anos em escola estadual de Glicério (SP) (Foto: Arquivo pessoal)

Após quase dois minutos de violência, funcionárias da escola chegaram e conseguiram separar as alunas. Um outro estudante foi atingido por uma carteira e machucou o pé. A motivação da briga seria um desentendimento por causa do irmão da vítima.

Ainda conforme apurado pela reportagem, essa é a terceira briga na escola em duas semanas e os episódios de agressões entre os alunos são frequentes. A vítima foi levada à unidade de saúde, onde recebeu atendimento médico.

Anúncios

A Polícia Militar foi acionada. Um boletim de ocorrência por lesão corporal foi registrado e a Polícia Civil vai investigar o caso.

Estudantes agridem aluna de 15 anos em escola estadual de Glicério (SP) (Foto: Arquivo pessoal)

A reportagem questionou a Secretaria Estadual de Educação sobre o caso. Em nota, a pasta informou que repudia a violência, lamentou o caso e disse que as estudantes vão acompanhar as aulas remotamente nesta semana, após determinação do conselho escolar.

Conforme a pasta, as três funcionárias que acompanhavam a movimentação dos alunos apartaram o conflito e uma reunião entre a vítima e uma profissional do Psicólogos nas Escolas foi marcada para quarta-feira (27).

A Diretoria de Ensino de Birigui (SP) designou um supervisor para apurar a conduta dos servidores no caso.

“A equipe do Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar (Conviva SP) acompanha o caso e irá implementar estratégias de conscientização sobre conflitos e cultura de paz na unidade escolar. A Ronda Escolar e o Conselho Tutelar também foram acionados”, finaliza a nota.

Fonte: G1

Talvez te interesse

Últimas

Crescimento do setor impulsiona seguradoras a inovarem para oferecer melhores benefícios e mais comodidades aos viajantes...

Categorias