Conheça mitos e verdades sobre o uso e manuseio das geladeiras

Saiba como prolongar a vida útil do seu refrigerador com essas dicas.

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um dos principais eletrodomésticos de qualquer residência, a geladeira revolucionou a forma com a qual lidamos com os alimentos. Graças ao seu desenvolvimento, podemos conservar a comida por mais tempo, evitando o desperdício e gerando economia.

A saúde também saiu ganhando, uma vez que alimentos conservados evitam doenças e até vacinas devem ser mantidas sob refrigeração.

A tecnologia melhorou e hoje contamos com geladeira frost free, modelo que não precisa ser descongelado como os de antigamente, poupando esse trabalho para os consumidores em geral.

História

Desde 1856 que sistemas de refrigeração têm sido usados para poder transportar alimentos por meio de navios. No entanto, foi só a partir de 1910 que as geladeiras domésticas passaram a ser comercializadas.

Seu desenvolvimento propiciou conforto, saúde e economia para as famílias. No formato de grandes caixas térmicas, as primeiras geladeiras recebiam uma grande pedra de gelo diária para conservar a baixa temperatura.

Com isso, as famílias passaram a poder estocar alimentos que antes se deteriorariam rapidamente, como carnes, laticínios e frutas. Isso evitava a contaminação por micro-organismos e mantinha a saúde da família também.

Em 1925 surgiu a geladeira com motor, compressor e condensador na mesma caixa de resfriamento, sendo bem mais moderna que suas antecessoras. Desde então, o aparelho se modernizou e foi conquistando espaço nos lares de todas as famílias.

Mito ou verdade

Com diferentes tamanhos e capacidades, as geladeiras podem ser encontradas com uma ou duas portas, invertida (com o congelador na parte de baixo), com dispenser de água na porta e até em uma versão pequena, o frigobar.

Mas, o uso e a conservação desse eletrodoméstico tão importante está cercado de mitos e verdades. Que tal conhecer alguns e aumentar a vida útil do seu aparelho?

1.   O transporte tem que ser feito na vertical: VERDADE.

Segundo a Cônsul, empresa fabricante desse eletrodoméstico, se a geladeira é transportada na posição horizontal, pode haver derramamento de óleo nos dutos de sucção do gás refrigerante.

Isso pode prejudicar o funcionamento do aparelho. Logo, a melhor forma de transportar a geladeira em uma mudança é com ela de pé sim.

2.   A geladeira pode ser ligada imediatamente após a mudança: MITO.

A movimentação do transporte pode fazer com que alguns óleos internos do aparelho mudem de posição. Para que eles retornem ao seu devido lugar, é recomendado que a geladeira fique de duas a três horas desligada e também na posição vertical.

3.   Guardar coisas quentes na geladeira estraga o aparelho: MITO.

Colocar panelas e potes com alimento ainda quente dentro da geladeira não vai estragar o eletrodoméstico, mas vai demandar mais esforço do compressor e, consequentemente, pode haver mais gasto de energia elétrica.

4.   A borracha de vedação resseca e faz a geladeira estragar: VERDADE.

Com o passar do tempo, a borracha que veda as portas da geladeira pode ressecar e perder a sua funcionalidade. Por isso, o aparelho pode ficar mais aberto e não gelar adequadamente, forçando o motor a trabalhar mais.

5.   Variações de energia podem estragar a geladeira: VERDADE.

Por ser um aparelho eletrônico, alterações na tensão elétrica podem prejudicar o funcionamento do motor e até fazê-lo queimar. Isso pode ocorrer quando a energia é interrompida e está para retornar, ou por problemas na instalação elétrica da casa.

6.   O gás da geladeira dura para sempre: MITO.

O gás usado para refrigerar o ar dos aparelhos eletrônicos têm duração que pode variar de oito a vinte anos. Depende muito da marca, do porte e da forma de uso do eletrodoméstico.

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes