Com maternidade fechada há 1 ano, grávidas de Conchas têm filhos em Botucatu e Laranjal

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O hospital público de Conchas fechou há um ano a ala da maternidade devido à falta de recursos. O prédio também não tem Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal. Pela ausência dos trabalhos, pacientes têm que pagar pelo atendimento particular em outra cidade, como é o caso de uma grávida de risco que não quer se identificar. A família precisou gastar R$ 6 mil no parto. “Pesa para gente porque precisamos de uma maternidade”, comenta o marido.

A Prefeitura de Conchas afirmou que o transporte de grávidas para outras cidades da região para atendimento é feito 24 horas por dia.

Michele teve o segundo filho fora da cidade onde vive (Foto: Cláudio Nascimento/ TV TEM)Michele teve o segundo filho fora da cidade
onde vive (Foto: Cláudio Nascimento/ TV TEM)

A atendente Michele Dezidério de Matos é outra mãe que teve o parto em outra cidade. Ela deu à luz ao Mateus, que hoje está com 4 meses, em Laranjal Paulista.. “Eu moro na zona rural e é um transtorno ter que ir até a maternidade em outra cidade. Meu sonho era que meu menino nascesse aqui em Conchas também”, diz.

Explicações da direção
Segundo o diretor do hospital de Conchas, Antônio José Neder Mureb, a maternidade foi fechada depois que a prefeitura assumiu a administração. A média de partos na cidade era de 15 por mês, número que se mantém desde que o município firmou parceria com a Santa Casa de Laranjal Paulista.

“Nós tínhamos que disponibilizar as equipes médicas com o que preconiza o Sistema Único de Saúde (SUS) em relação ao atendimento. A disponibilidade da equipe completa, que são cinco elementos 24 horas por dia, é muito difícil em que uma cidade de nosso porte não só pelo custo, mas ainda pela disponibilidade dos profissionais exigidos.”

O diretor de saúde aponta ainda que as gestantes recebem todo o acompanhamento pré-natal que é oferecido em três unidades de saúde e em um centro médico. Ele explica também que para a maternidade voltar a funcionar, depende de mais verbas. A ala tem capacidade para 80 internações e aproximadamente 4 mil atendimentos por mês, incluindo os custos com exames e médicos. Atualmente, o gasto mensal do hospital é de R$ 87 mil, diz ele.

“Se nós conseguirmos conveniar uma entidade filantrópica, uma organização ou uma empresa médica que consiga trabalhar com um custo razoável para o município para fazer os partos do SUS, não haveria problema. Nós poderíamos trazer para cá, iniciar as negociações e fazermos convênio”, explica Mureb.

Posição da prefeitura
A prefeitura afirma que caso a gestante entre em trabalho de parto, ela é levada imediatamente por uma ambulância à Santa Casa de Laranjal Paulista que fica a 20 quilômetros. Já em caso de gravidez de risco, a paciente é acompanhada com antecedência e encaminhada à Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Botucatu (SP), a 55 quilômetros de Conchas.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes