‘Chorando sei que tá vivo, pelo menos’, disse babá de Henry ao namorado enquanto menino estava trancado com Jairinho

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O delegado Henrique Damasceno, responsável pela investigação da morte do menino Henry Borel, decidiu abrir um outro inquérito para investigar o crime de falso testemunho que teria sido cometido pela babá da criança, Thayná de Oliveira Ferreira.

As investigações comprovaram que a babá não relatou aos policiais tudo o que sabia.

“Existe sim um outro inquérito já instaurado sobre o crime de falso testemunho. Mas no próprio depoimento ela demonstrou que tinha receio por sua integridade física. Possui vários familiares ligados ao investigado e à família”, disse o delegado Henrique Damasceno, da 16ª DP (Barra da Tijuca).

A investigação teve acesso a novas mensagens do celular de Thayná.

No dia 2 de fevereiro, quase um mês antes da morte do menino, em 8 de março, Thayná conversa com o namorado sobre a criança. Na troca de mensagens, ela diz que preferia ouvir Henry chorando, do que não ouvir nada.

“Chorando sei que tá vivo, pelo menos”.

Na conversa, ela relatou ainda estar desnorteada e que não sabe o que é pior: se é o menino chorando ou em silêncio dentro do quarto com Jairinho.

“Sabe naquele dia? Dez vezes pior”.

Conversa da babá de Henry, Thayná com o namorado em fevereiro de 2021 — Foto: Reprodução
Conversa da babá de Henry, Thayná com o namorado em fevereiro de 2021 (Foto: Reprodução)
Conversa da babá de Henry, Thayná com o namorado em 2 de fevereiro — Foto: Reprodução
Conversa da babá de Henry, Thayná com o namorado em 2 de fevereiro (Foto: Reprodução)

Em outra conversa, dessa vez no dia 12 de fevereiro, Thayná relata ao próprio pai que está escondida no carro com o menino e fala de Jairinho. A conversa acontece depois que a mãe do menino chega do salão.

“Tô escondida no carro com o menino, Monique lá em cima. O menino me agarrou demais, me enforcou, rasgou minha blusa, quando viu o outro”.

Depois ela conta que Jairinho deu R$ 100 para ela ficar quieta. A babá ainda recebe o recado de Monique que Jairinho vai querer ver o telefone celular dela.

Na conversa, Thayná chama Jairinho de “doido” e conta que o menino está agarrado ao seu pescoço chorando descontrolado, o que chamou a sua atenção. Ela ainda disse estar “sem saída” quando Jairinho entrou com Henry para o quarto.

Monique ameaça Jairinho após agressões

Em um outro diálogo com o pai, a babá relata agressões de Jairinho a Monique:

“Ele bateu nela, enforcou. Aí ela disse que ele vai sair de casa, mas que vai continuar pagando as coisas dela”.

De acordo com a polícia há provas de que Monique Medeiros coagiu a testemunha, pedindo para a babá mentir e apagar mensagens.

Thayná, babá de Henry, manda uma selfie para a mãe do garoto após a suposta sessão de tortura por Dr. Jairinho em fevereiro — Foto: Reprodução
Thayná, babá de Henry, manda uma selfie para a mãe do garoto após a suposta sessão de tortura por Dr. Jairinho em fevereiro (Foto: Reprodução)

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes