Chineses ricos estão comprando cada vez mais pedaços de animais em extinção

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Diversas pessoas ricas da China estão comprando produtos provenientes de animais selvagens de forma ilegal, que incluem as partes de tigres em extinção, elefantes, rinocerontes e ursos. Tais itens são cada vez mais vistos como uma forma de investimentos cujos valores irão subir devido à raridade dos bichos, segundo o site ativista TakePart.

Armazéns em toda a China guardam anualmente centenas de cadáveres de tigre embebidos em ervas e garrafas de vinho de arroz. Estes itens acabarão sendo vendidos, em sua maioria, por valores entre US$ 80 e US$ 300. Quanto mais tempo as garrafas esperarem, mais valiosas se tornam.

A busca por marfim também aumentou entre a elite chinesa. À medida que mais colecionadores têm entrado no mercado, a caça ilegal de espécies ameaçadas de extinção que fornecem marfim, como elefantes e rinocerontes, têm aumentado. Em 2006, o preço de atacado para o marfim era US$ 564 por quilograma, hoje a mesma quantidade vale US$ 2 mil.

A maior parte do comércio ilegal de animais silvestres é online. Produtos que incluem presas de elefante, chifres de rinocerontes, vesículas biliares de urso e bicos pássaros raros, como o calau, têm sido vistos para venda, de acordo com Zhou Fei, que trabalha em uma rede internacional de monitoramento de comércio de espécies selvagens na China.

Fei explicou que estes produtos podem ser encontrados em sites de coleção de arte, fóruns on-line, grupos de WhatsApp e até mesmo no Facebook.

Preços de peças feitas de marfim podem variar de US$ 1.000 para um pequeno anel a mais de US$ 100.000 para um chifre de rinoceronte completo, de acordo com o Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (IFAW).

No ano passado, uma atriz chinesa de 28 anos foi presa por vender produtos de marfim ilegais e outros feitos de espécies ameaçadas de extinção, de acordo com o China Daily. Ela estava participando do negócio desde outubro de 2013 e já tinha alcançado um lucro de 450.000 yuan (US$ 72,405) antes de ser capturada.

Inicialmente, produtos animais selvagens ilegais eram procurados por questões de crenças que diziam que tê-los traria benefícios à saúde. Ao longo dos últimos anos, no entanto, estes produtos evoluíram para símbolos de status da elite chinesa ou como investimentos para a classe média.

“Precisamos abordar todas as peças do quebra-cabeça: pressão internacional, mudança de comportamento, liderança do governo, boa aplicação da lei e revisão das leis existentes”, disse o diretor de campanhas da Agência de Investigação Ambiental, Julian Newman.

No entanto, o tempo está se esgotando.

“Os elefantes, rinocerontes e tigres não podem esperar muitos mais anos por uma mudança. Nós não temos muito tempo para algumas destas espécies”, completou Newman.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes