Cantor do Carrapicho, do hit ‘Tic Tic Tac’ (Bate Forte o Tambor), morre vítima de Covid

Morreu, neste sábado (6), o cantor Zezinho Corrêa. Ele estava internado em um hospital particular de Manaus, após testar positivo para a Covid-19. O cantor ficou famoso nos anos 90 com o hit ‘Tic Tic Tac’, do grupo Carrapicho.

Com o agravamento da infecção ocasionada pela doença, o cantor chegou a ser intubado e também sofreu uma traqueostomia.

Zezinho Corrêa se apresentou na Fifa Fan Fest — Foto: Marcos Dantas/G1 AM
Zezinho Corrêa se apresentou na Fifa Fan Fest (Foto: Marcos Dantas/G1 AM)

Zezinho foi internado com Covid-19 no dia 5 de janeiro, após sentir febres e dores no corpo no dia anterior. No dia 7, foi transferido para um leito de UTI para dar continuidade ao tratamento. A morte dele foi confirmada por familiares na manhã deste sábado.

O velório do artista Zezinho Corrêa realizado durante à tarde na unidade Balneário do Sesc. Devido aos protocolos de segurança contra a disseminação da Covid-19, o acesso não estará aberto ao público.

Trajetória

José Maria Nunes Corrêa, natural da comunidade de Imperatriz, em Carauari, ficou conhecido nacionalmente e internacionalmente após o sucesso “Tic Tic Tac”, na década de 1990, quando liderava a banda Carrapicho.

Antes de se dedicar à carreira de cantor, Zezinho também fez curso de formação de atores, no Rio de Janeiro, e estudou interpretação e dança. Como ator, Zezinho Corrêa fez parte do Grupo de Teatro Experimental do Sesc.

Zezinho também investiu em carreira solo, produzindo projetos musicais. Entre os destaques estão a sua participação no musical “Boi de Pano”, durante o Festival Amazonas de Ópera de 2000; a gravação do seu CD solo no ano de 2001, no Teatro Amazonas e a participação no musical de Natal “Ceci e a Estrela”, em 2017.

No dia 21 de dezembro de 2020, o cantor subiu ao palco do Teatro Manauara com o show “Banho de Frevo – Zezinho Corrêa canta Elba Ramalho”; e no dia 28 de dezembro, o cantor participou do lançamento online do livro “Eu Quero é Tic, Tic, Tac”, escrito pelo jornalista e produtor cultural Fabrício Nunes em homenagem à carreira de Zezinho. O lançamento foi transmitido do Centro Cultural Palácio Rio Negro.

Fonte: G1

Scroll Up