Calcinha pode afetar a saúde da vagina?

Saiba como escolher a calcinha ideal para a saúde íntima feminina.

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

É de conhecimento de todos que a higiene é fundamental para a saúde do nosso corpo e, tratando-se de região íntima, esse cuidado deve ser redobrado, visto que uma simples desatenção pode facilitar a propagação de doenças, bactérias e infecções.

Pelo fato da calcinha estar em contato direto com a vulva, ela também merece muita atenção. Portanto, veja algumas dicas de especialistas sobre escolher a calcinha ideal para preservar a saúde íntima.

Tecido

Atualmente, o algodão continua sendo o melhor tecido para roupas íntimas. Isso porque os tecidos naturais têm um melhor desempenho em relação à absorção da transpiração quando comparados aos tecidos sintéticos.

Ademais, eles também são mais confortáveis devido a sua superfície delicada, o que faz com que a maioria das peles se deem bem com ele. Enquanto os tecidos sintéticos podem provocar reações alérgicas em alguns casos.

Uma solução para as mulheres que preferem as calcinhas confeccionadas em tecido sintético é optar por aquelas que têm forro de algodão. Ainda que não seja a melhor escolha, essa simples mudança já reduz consideravelmente o risco de irritações e outros problemas.

Além do algodão, já existem alguns tecidos tecnológicos que reduzem a umidade e facilitam a circulação do ar na região íntima, como os tecidos de fibra de bambu.

Formato da calcinha

Existem diversos modelos de calcinhas, mas o ideal é optar por aqueles que fazem com que você se sinta bem e confortável — e não o contrário.

O que deve ser observado é o quão apertada ela está, pois roupas muito justas ocasionam um aquecimento maior na região e, consequentemente, um risco maior de infecções causadas por bactérias e fungos, além de facilitar o surgimento de corrimento vaginal.

Uma dica importante para quem gosta do modelo fio dental é usá-lo com moderação, pois ele gera atrito direto contra a pele da vulva e do ânus, o que pode resultar em lesões leves que deixam a área mais propícia à ação de agentes patógenos.

Roupas íntimas x atividade física

A atividade física é uma prática que exige uma série de condições, como flexibilidade e movimentos rápidos e repetitivos. Entretanto, as roupas íntimas do cotidiano não oferecem o suporte necessário para os exercícios.

Nesse caso, a dica é optar por modelos próprios para a prática de exercícios. Além de proporcionarem um conforto maior, eles ajudam no controle da transpiração, evitando possíveis irritações na região íntima.

Cuidados na hora da lavagem

Algumas mulheres têm o hábito de lavar as calcinhas no chuveiro e outras não abrem mão da máquina de lavar.

Para os especialistas, não há problema nenhum em higienizar as roupas íntimas durante o banho, visto que a água quente até contribui para a eliminação de possíveis bactérias. Entretanto, é necessário atentar-se ao sabonete utilizado, que deve ter um pH neutro para não favorecer a propagação de bactérias.

Ademais, outro ponto favorável de lavar a peça no chuveiro é impedir que algum tipo de secreção entre em contato com demais peças presentes no cesto de roupas sujas.

Já para as mulheres que não abrem mão da máquina de lavar, a dica é manter a peça em sacos protetores para evitar danos ao tecido.

Cuidados após a lavagem

Uma recomendação para quem tem o hábito de lavar as roupas íntimas no chuveiro é não deixá-las secando no box, pois, nessa condição, a calcinha fica muito tempo úmida devido ao vapor.

Entretanto, também não é necessário deixá-las secando diretamente ao sol, basta apenas colocá-las no varal, que deve estar em um local seco e arejado.

Outra dica bastante importante é passar o ferro quente na peça antes de usá-la, especialmente na parte que fica em contato direto com o órgão genital, pois as altas temperaturas eliminam micro-organismos que possam ter permanecido na peça mesmo após a lavagem.

Conteúdo Produzido para o Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes